O POVO - Jornal Político, Literário e Ministerial da República Rio-Grandense
Desde 01 de Setembro de 1838

 

 

NOTÍCIAS PUBLICADAS NO ANO DE 2010

(Ir para notícias atuais)

 

 

 

 

 

 

 

Kurdistão iraquiano proclama o direito à auto-determinação
24 de dezembro de 2010

A dormant crisis flares up again in the Arab world: Iraqi Kurdistan proclaims its right to self determination

On December 12 Massoud Al Barazani, President of the Kurdish semi-autonomous region of Iraq, threw a bombshell at the opening session of the 13th general assembly of his party- the Kurdish democratic party - in the region's capital Arbil. The Kurdish people has a right to self determination, he said, and the Kurdish identity of the town of Kirkuk is not a matter of negotiation. There was no reaction from the Iraqi President, the Prime minister and the President of the parliament who had come for the occasion, but the political storm which followed shows no sign of abating... Leia mais...

 

 

Conheça os dezesseis territórios ainda não autônomos do mundo
21 de dezembro de 2010

Em 14 de dezembro de 1960, uma resolução da Assembleia Geral da ONU abriu o caminho para a descolonização de dezenas de territórios. Cinquenta anos depois, ainda existem muitos territórios não autônomos. Entre eles estão Gibraltar, Guam, Ilhas Malvinas, Santa Helena e Saara Ocidental. Leia mais...

 

 

 

Este é o teu país?
Estudantes brasileiros estão entre os piores do mundo
07 de dezembro de 2010

O Brasil ficou em 54º lugar no ranking de 65 países do Programa de Avaliação Internacional de Estudantes (Pisa), que testa os conhecimentos de alunos de 15 anos. Em uma escala de zero a 6, a média obtida pelo Brasil em 2009 equivale ao nível 2 em leitura, 1 em ciências e 1 em matemática.Leia mais...

 

 

 

Historia recente do movemento galego pola autodeterminación: A experiencia das Bases Democráticas Galegas
25 de novembro de 2010

Facendo memoria historica do noso movemento, como vimos realizando desde o noso web, compre lembrar tamén a experiencia recente que foron as Bases Democráticas Galegas. Entidade que durou do ano 2004 até o 2007, creada para reclamar os principios democráticos básicos do dereito de autodeterminación para o noso pais. Leia mais...

 

 

 

Sobe número de mortos após confronto no Saara Ocidental
16 de novembro de 2010

De acordo com a Frente Polisário, o conflito de segunda-feira (15 NOV 2010) - que começou depois que forças marroquinas invadiram um acampamento de Gdaim Izik para conter uma manifestação separatista - além de oficiais e civis mortos, 723 ficaram feridos e 159 estão desaparecidos.

Após o desmantelamento de Gdaim Izik (foto), as ruas da capital Laayoune foram palcos de enfrentamentos entre centenas de saarianos e forças de segurança marroquinas, que há mais de 30 anos disputam o território, e levaram a mortes de um policial e um bombeiro marroquinos, além de deixar 70 pessoas gravemente feridas. Leia mais...

 

 

 

Sudaneses começam a se registrar para decidir independência do sul
14 de novembro de 2010

A Comissão para o Plebiscito da Autodeterminação do Sul do Sudão anunciou neste domingo que o registro dos eleitores para participar da consulta de 9 de janeiro começará nesta segunda-feira. O chefe da comissão eleitoral, Mohammed Ibrahim Khalil, disse em entrevista coletiva que o registro dos eleitores durará 17 dias e começará às 8h do horário local (3h do horário de Brasília) nas 15 províncias do norte e nas 10 do sul.

O processo de registro também acontecerá na Austrália, Reino Unido, Canadá, Egito, Etiópia, Quênia, Uganda e Estados Unidos, para que os emigrantes sudaneses possam participar da decisão. Leia mais...

 

 

 

 

A autodeterminação, um direito ou um dever?

Paísos Cataláns - Batalha de ideias
Domingo, 14 Novembro 2010

Som Vilafranca - [Llorenç Casanova] O enfoque e aproximação actual verso a questão da independência (já seja do povo catalão ou doutros) fez-se principalmente desde a visão dos direitos das pessoas ou dos povos (portanto, nalguns casos desde uma aproximação mais individualista e noutros mais coletivista). Esta demanda tem-se canalizado ultimamente na assunção do direito de autodeterminação dos povos (tal como fica recolhido pela ONU desde há mais de 50 anos). O mecanismo para fazer possível este direito (amplamente reconhecido, mas poucas vezes praticado, como um exemplo mais das contradições implícitas dos estados modernos actuais) varia em função da aproximação ideológica desde a qual se fizer: nalgumas ocasiões através dum referendo ou consulta popular, noutros, por declarações unilaterais de independência e noutros utilizam-se eufemismos ou ambigüidades de caráter autonomista ou federalista para evitar reconhecer este direito.

Seja como for, e de forma compartilhada, fica claro que o exercício do reconhecimento deste direito é basicamente uma demanda democrática essencial, já que a liberdade individual e colectiva fica estreitamente ligada ao direito a decidir o futuro dum mesmo. A negação deste direito é portanto, uma negação dos princípios fundamentais da democracia, que como por todos é sabido, é uma prática constante do Estado espanhol, no seu desejo recorrente de evitar qualquer tentativa de fragmentação da invenção oitocentista da "nación española", e que a pesar da prática fascista de aniquilação cultural de todo o que não seja espanhol nunca conseguiu qualhar entre a população.

Porém faria falta apartir de agora, darmos um passo para a frente, mais quando a questão da independência está presente na agenda política catalã. Os representantes políticos, já for a nível local, autonómico ou estatal, que se autodefinem como democratas (isto é, todos, ao menos de cara ao público geral) teriam de assumir como dever inalienável a defesa do direito de autodeterminação dos povos (sejam de onde forem) que o desejarem. Esta assunção não implica necessariamente ser independentista, senão simplesmente reconhecer um direito democrático. Muitas vezes escutámos em boca dos representantes políticos que o seu "dever" é defender a democracia, atuar pelo seu bem; mas este por desgraça se reduz exclusivamente ao âmbito constitucionalista espanhol (o mesmo por certo, que ameaça com o emprego das forças armadas se a unidade da "nación española" se ver em perigo) e portanto, perdem-se pelo caminho, elementos básicos que definem o que é uma democracia e o que não o é. Chegamos, pois, à altura na qual nos temos de perguntar: é democrata aquele que nega o direito de autodeterminação dos povos? É democrata aquele/a que nega um direito básico da democracia? Não é um símbolo de autoritarismo a negação deste direito?

Ao meu entender é muito claro: o grau de democracia é directamente proporcional à assunção dos seus princípios básicos, entre os quais não podemos esquecer as liberdades colectivas como a independência dos povos. Assim, pois, a quantos dos "nossos" representantes políticos podemos tirar a "máscara democrata"?

Llorenç Casanova é vereador da CUP na prefeitura de Vilafranca

Fonte: Diário Liberdade

 

 

 

Separatismo discutido na ONU
SELF-DETERMINATION ISSUE DISCUSSED AT THE UN
03 de novembro de 2010 

The 65-th session of the UN General Assembly is underway in New York. On November 3, discussions on the “peoples’ right to self-determination” were held in the course of which delegates from more than four dozen of countries held speeches.

Armenia also participated in the discussion in the face of the Permanent Representative of Armenia to the UN, Ambassador Karen Nazaryan who noted that the violation of aforementioned right brings about tragic consequences, wars and destructions. The Armenian people of Artsakh battled for their right to freedom resisting to the war imposed on them.

Further discussions were held between the delegations of Armenia and Azerbaijan. The Representative of Armenia said that the fact that Azerbaijan holds speeches on this topic, at the same time trying to ignore the right of people of Artsakh to self-determination, is ridiculous. He said that Azerbaijan response to Karabakh’s fulfillment of its self-determination right was slaughters, violence, murders against Armenian people. The existing situation is the region is the result of ethnic cleansings, mass killings of NKR population, military aggression and war realized by Azerbaijan, said the Armenian Representative. RoA MFA reported.  

Fonte: http://www.lragir.am/engsrc/politics19649.html

 

 

 

ETA: apontamentos rápidos
Defenderei a casa de meu pai
Sexta, 29 Outubro 2010 02:00

Raphael Tsavkko

A ETA (Euskadi Ta Askatasuna – Pátria Basca e Liberdade) nasce do trabalho de militantes nacionalistas insatisfeitos com os rumos que o PNV - direita cristã - tomava, ou mesmo com os rumos da Ação Nacionalista Basca (ANV), partido de esquerda nacionalista fundado nos anos 30, que consideravam por demais tímidos e insuficientes na luta pela libertação do País Basco (Villalón, 2000). Estes militantes nacionalistas se reuniam e eram apoiados largamente por facções anti-franquistas da igreja católica, em especial pela ordem dos Jesuítas.

A igreja se tornou o mais forte bastião de resistência ao Franquismo no País Basco e eram em centros comunitários católicos que se ensinava o Euskera aos jovens e adultos que não tiveram a oportunidade de aprender antes e onde nascia o movimento de resistência à Ditadura.

A ETA nasce com o ideal de independência, tendo na luta contra Franco uma primeira etapa para a consecução de seus objetivos. Desde o princípio a ideologia que permeia a ETA é a de recuperar e valorizar a cultura e língua bascas (Llera, 1992), ao contrário do senso comum que via na ETA apenas um grupo anti-franquista.

Este caráter eminentemente nacionalista se verifica pelo fato de que 90% dos ataques do grupo se deram após a morte de Franco, em especial durante os anos de discussão do Estatuto de Autonomia Basca (1979), da formação do primeiro Governo Basco (1980) e da Constituição Espanhola (7198)

Por um lado, o nascimento da ETA em um período de forte repressão, as transformações ideológicas constantes, os rachas e divisões do grupo contribuíram para o número limitado de ataques e assassinatos políticos durante os anos de franquismo, por outro, a chegada da democracia - ao menos nos moldes ditados pela Espanha - se apresentava como o momento mais propício para a consecução dos objetivos Etarras e, também, marca o auge organizativo da organização.

O Marxismo passa a ser parte do ideário da ETA em um processo de discussão interna durante as primeiras três assembléias do grupo, tornando-se efetiva a partir da IV assembléia (1964), no auge das lutas de libertação africanas e asiáticas, quando a ETA se afasta do PNV e começa a se aproximar dos movimentos operários de massa (Llera, 1992)

Nesta época o próprio PNV – cuja direção se encontrava no exílio e logo depois seu líder máximo, Aguirre, falece em Paris – se via enfraquecer sua presença e a penetração no país basco sob ocupação espanhola. As novas gerações, nascidas já sob a ditadura ou muito novos quando da Guerra Civil já não tinham mais no PNV um modelo e desconheciam as novas lideranças.

Coube à ETA reescrever os ideais Aranistas (originalmente racista, integristas e xenófobos, cujo ideal de nação rural e bucólica contrastava com o forte crescimento industrial basco) e torná-lo não só mais palatável ao proletariado urbano, como também mais atual e conectado à realidade pela qual passava a Europa e o mundo nos anos 50 e 60.

LLERA, Francisco J. ETA: Ejercito Secreto y Movimiento Social. Revista de Estudios Políticos. Número 78. Outubro-Dezembro de 1992.

VILLALÓN, Adriana M. Definições para o Problema Basco. XXIV Encontro Anual da ANPOCS. Petrópolis: 2000.

Introdução de artigo que será apresentado no VI Seminário de Ciência Política e Relações Internacionais da UFPE, em 19 de novembro de 2010

Fonte: Diário Liberdade

 

 

 

 

Sudão do Sul: Igreja apóia referendo pela independência
28 de outubro de 2010

Dentro de alguns meses, o Sudão poderá conhecer uma nova definição territorial, com a independência da região sul. Uma situação para a qual a Igreja Católica local está particularmente atenta, já que pretende assegurar que esta transição seja efectuada da forma mais limpa e pacífica possível. Leia mais...

 

 

 

Livro trata do direito à auto-determinação dos povos
Título: Diversity and Self-Determination in International Law
Autora: Karen Knop
Língua: inglês

The emergence of new states and independence movements after the Cold War has intensified the long-standing disagreement among international lawyers over the right of self-determination, especially the right of secession. Karen Knop shifts the discussion from the articulation of the right to its interpretation. She argues that the practice of interpretation involves and illuminates a problem of diversity raised by the exclusion of many of the groups that self-determination most affect.

Conteúdo do livro Diversity and Self-Determination in International Law

 

 

 

Saara Ocidental: a maré da história
25 de outubro de 2010

Apesar das muitas tentativas de romper o velho estancamento diplomático, o progresso em direção a uma solução tem sido tortuosamente lento. A solução política pode parecer inalcançável frente às posições tão refratárias de ambas as partes: a Frente Polisário se recusa a negociar o direito legítimo à autodeterminação; o Marrocos se opõe a qualquer proposta que contenha a possibilidade de independência dos saaráuis; e o Conselho de Segurança da ONU não demonstra vontade de aplicar suas próprias resoluções. O artigo é de Ken Loach (foto) e Stefan Simanowitz. Leia mais...

 

 

 

O ódio e racismo brasileiro contra os gaúchos continua

Mensagem do racista brasileiro Paulo Lopes

De:       Paulo Lopes < paulo.lopes4243@yahoo.com.br >
Data:    17 de outubro de 2010

EI BANDO DE BOIOLAS!!
DE ONDE VOCÊS TIRAM TANTA IDIOTICE?
FICAM FAZENDO TROCA TROCA ENQUANTO AS GAUCHAS VIAJAM PELO PAÍS PARA PODER ENGRAVIDAR, PORQUE AÍ NO SUL AS MOÇOILAS DE BOMBACHAS E LENCINHOS NO PESCOÇO, SÓ CHEGAM PERTO DE CALCINHA PARA VESTI-LAS.
 
VAI TRABALHAR RAÇA DE VIADO.
 
LEMBREM-SE QUE A XUXA É GAÚCHA E TEVE QUE VIR PARA O RIO PARA APRENDER A GOSTAR DE ROLA, PORQUE AÍ, ELA SÓ VIU MOLE.
RENATA FAN CASOU COM PAULISTA.
GISELE BUNDCHEN FOI ARRUMAR MACHO O MAIS LONGE POSSÍVEL DOS PAMPAS ROSAS.
 
PORTANTO PAREM DE VIADAGEM E TENTEM COMEÇAR A GOSTAR DE MULHERES, QUE VOCÊS OCUPARÃO O SEU TEMPO COM SEXO HETEROSEXUAL, PARARÃO DE QUEIMAR A ROSCA, E DEIXARÃO ESSA BOBAGEM DE SEPARATISMO DE LADO.
 
JÁ PERDERAM UMA GUERRA, E SE ORGULHAM DISSO.
ACHO ATÉ BOM QUE COMECEM UMA GUERRA, ASSIM EU POSSO ME ALISTAR E IR PARA O RGS CAÇAR VIADOS.

Veja também:

 

 

 

Belo PowerPoint com imagens do Rio Grande
16 de outubro de 2010

Faça download de mais um belo powerpoint com imagens da República Rio-Grandense.

 

 

 

Sudão: Conselho de Segurança da ONU pede referendo separatista
15 de outubro de 2010

Nova Iorque, 14 out - O Conselho de Segurança das Nações Unidas debateu hoje os referendos sobre a autodeterminação no Sul do Sudão e na região de Abyei, sublinhando que a votação deve realizar-se "dentro do prazo, de forma credível" e os resultados finais respeitados. Leia mais...

 

 

 

Obama apoia separatistas do Sudão do Sul
15 de outubro de 2010

WASHINGTON — O presidente Barack Obama recebeu na última terça-feira George Clooney para tratar do tema separatista do sul do Sudão, região que o ator visitou na semana passada, anunciou a Casa Branca. Os sulistas se pronunciarão em 9 de janeiro num referendo sobre a permanência desta região no Sudão ou sua secessão. Leia mais...

 

 

 

Iémen: um morto e 11 feridos
15 de outubro de 2010

A explosão de duas bombas marca mais um episódio da luta armada dos separatistas do Iemen do Sul, que iniciou 1994... Leia mais...

 

 

 

Região espanhola da Galiza lança campanha pela independência
06 de outubro de 2010

Separatistas da Galiza (também chamada de "Galícia") criam o tema "Causa Galiza" e se unem para defender o direito à independência, separando-se da Espanha. Leia mais...

 

Population: 2.771.341 inhabitants (2007)
Area: 29.574 km²
Institutions: Xunta de Galicia
Major cities: Santiago de Compostela, Vigo, A Coruña
Territorial language: Galician
Official language: Galician and Spanish
National Day: 25 July
Major religion: Christianity (Catholicism)

Site oficial: http://www.causagaliza.org/


Localização da Galiza

 

 

Brasil é vergonha mundial
Google Street View mostra belas cenas do mundo, mas no Brasil mostra cadáveres
01 de outubro de 2010

São pelo  menos dois - no Rio de Janeiro e Belo Horizonte - os cadáveres que aparecem em fotos efetuadas pelas câmeras do Google Street View. Leia mais...

 

 

 

Sudão aceita plebiscito pela independência do sul do país
29 de setembro de 2010

O governo do Sudão apresentou hoje uma série de condições para aceitar a realização de um referendo crucial sobre a independência do sul do país, entre as quais estão a demarcação das futuras fronteiras e o deslocamento das forças militares do sul sudanês, o que poderá aumentar ainda mais as tensões no dividido país africano. Leia mais...

 

 

 

Livro disponível para downloadClique para ampliar
27 de setembro de 2010

O livro AFUNDAÇÃO II - Uma biografia de corrupção, de Romero da Costa Machado, está agora disponível para download. O livro trata das falcatruas da Rede Globo de Televisão. Leia mais...

 

 

 

 

 

 

Na ONU, presidente do Irã diz que 11/9 foi farsa
24 de setembro de 2010

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, causou polêmica nesta quinta-feira durante seu discurso em Nova York, na Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas) após relembrar teorias conspiratórias sobre os ataques terroristas de 11 de Setembro. Em seu pronunciamento, ele disse que "muitas pessoas" dizem acreditar que o governo americano esteve por trás dos atentados, fazendo com que parte da delegação americana deixasse o local em protesto. Leia mais...

 

 

 

Desemprego no Brasil é de 80%
23 de setembro de 2010

Os números são oficiaisdo IBGE, dos 200 milhões de brasileiros, somente 22 milhões possuem emprego. Mesmo se considerarmos que a população economicamente ativa fosse de apenas 50% da população total, como é o padrão de cálculo na África (na Europa a população economicamente ativa é superior a 80% da população total), ainda assim o desemprego seria em torno de 80%, mas o governo brasileiro insiste que o desemprego é de apenas 6,7%.  Para aqueles que não entendem as razões do crescimento da violência, das favelas, do tráfico de drogas e outras características bem brasileiras, aí está a explicação. É o Brasil jogando os brasileiros no lixo para engordar a pança dos banqueiros e corruptos, entre outros parasitas. É por esse e outros motivos que o Pampa Livre luta pela restauração da independência da República Rio-Grandense.

Desemprego recua para 6,7% e mantém mínimo histórico

O rendimento real médio dos trabalhadores avançou 1,4% na comparação mensal, para R$ 1.472,10

 

A taxa de desocupação atingiu 6,7% em agosto, valor mínimo histórico para o mês. A cifra representa queda de 0,2 ponto percentual em relação à taxa de 6,9% registrada mês anterior.

Os dados foram divulgados hoje (23/9) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em relação a agosto de 2009, o desemprego caiu 1,4 ponto percentual. No mês, tanto a população ocupada quanto o total de desempregados registram estabilidade, em 22,1 milhões e 1,6 milhão, respectivamente.

O rendimento real médio dos trabalhadores avançou 1,4% na comparação mensal, e 5,5% ante agosto de 2009, para R$ 1.472,10.

Regiões

A taxa de desemprego ficou estável em todas as regiões metropolitanas analisadas. O valor mais alto foi registrado em Salvador, de 11,7%, enquanto Porto Alegre registrou a taxa de desocupação mais baixa, em 4,6%.

Em comparação com julho, o rendimento médio ficou estável apenas em Belo Horizonte. A média teve altas de 4,4% em Recife, 3,3% em Salvador, 2,5% no Rio de Janeiro e 0,7% em Porto Alegre e São Paulo.

Fonte: Jornal Brasil Econômico, 23 SET 2010

 

 

 

 

 

Chineses chamam Brasil de piada e quintal dos Estados Unidos
17 de setembro de 2010

Um executivo da maior construtora da China disse que
o modelo brasileiro para infraestrutura é uma "piada" e que a empresa se recusou a participar da licitação para construir o trem-bala ligando Campinas, São Paulo e Rio.

"Não acredito que uma corporação chinesa vá investir em infraestrutura no Brasil, porque não terá lucro", disse Chang Yunbo, vice-gerente-geral do departamento para o estrangeiro da CCCC (China Communications Construction Company).

Concluiu: "Pedir que uma empresa chinesa assuma um risco tipicamente governamental é uma grande piada".

As declarações de Chang, foram feitas durante debate sobre investimento no Brasil do Fórum Investidores América Latina China (LA-CIF), em Pequim.

Por outro lado, disse que a empresa atua com sucesso há 30 anos na África e no Oriente Médio e elogiou a Venezuela, lugares onde a negociação é feita "de governo a governo". Para ele, a negociação com países caribenhos é "simples e direta".

Em outro debate, Chen Weidong, chefe de pesquisa em energia da estatal petroleira CNOOC, disse que a empresa hesita em investir no Brasil e na América Latina pelo fato de a região ser
"o quintal dos Estados Unidos".

Fonte: Folha de São Paulo, 17/9/2010

 

 

 

Dissidentes do IRA prometem atacar banqueiros no Reino Unido
15 de setembro de 2010

 
LONDRES - Líderes do grupo separatista irlandês IRA Real, uma dissidência do Exército Republicano Irlandês Provisional, prometeram atacar bancos e banqueiros do Reino Unido, segundo uma reportagem publicada nesta quarta-feira, 15, pelo jornal britânico The Guardian. Apesar de contar com cerca de cem militantes, o grupo afirmou que os alvos na Inglaterra são a maior prioridade.
 
"Nós somos conhecidos por atacar agentes econômicos e instituições financeiras. O papel dos banqueiros e das instituições às quais eles servem no financiamento sistema colonial e capitalista do Reino Unido não passaram despercebidos", disseram líderes do grupo, chamando os bancos de criminosos."Não vamos esquecer que os banqueiros são parceiros dos políticos. Eles fazem esquemas que beneficiam as elites sociais às custas de milhões de vítimas", acrescentaram.
 
Especialistas em segurança, porém, diz que o IRA Real não tem a mesma capacidade e recursos que o IRA para realizar ataques em grande escala. Embora o grupo tenha acesso a explosivos, não é capaz de perpetrar grandes atentados.
 
Os líderes do IRA Real também ameaçaram intensificar todas as suas frentes de terrorismo. "É importante reconhecer que nos reagrupamos e nos reorganizamos e emergimos de um período turbulento da história republicana. Já mostramos nossa capacidade em atacar a infraestrutura militar, judicial e policial dos britânicos. Vamos aumentar o volume de ataques".
 
Sobre os rumores de que líderes do IRA estariam negociando com Dublin e Londres, o IRA Real negou "qualquer diálogo". "Não nos opomos às conversas, mas acreditamos que elas devem abordar a raiz do problema, que é a ocupação britânica ilegal sobre a Irlanda".
 
O IRA Real surgiu em 1997, quando se separou do IRA Provisional, uma outra divisão do Exército Republicano Irlandês oficial. Os dissidentes defendem a união da Irlanda e da Irlanda do Norte, que continua como parte do Reino Unido. O grupo é considerado como terrorista pelos britânicos e pelos EUA.
 
Fonte

 

 

 

ONU apóia independência do Sahara Ocidental
20 de agosto de 2010

Dezanove meses depois de ser nomeado enviado especial das Nações Unidas para o Saara Ocidental, Christopher Ross, retrata um cenário negro e pede ajuda às grandes potências, incluindo Espanha, para desbloquear as conversações de paz.

De acordo com a edição online do El País de hoje, Ross apelou a Marrocos para que discuta a proposta de referendo da Frente Polissário, tal como o movimento saraui se propôs a discutir, em fevereiro, a autonomia oferecida por Rabat para o território. Leia mais...

 

 

 

Índia celebra Independência
16 de agosto de 2010
 Em um ambiente festivo e com um amplo desdobramento de segurança em Nova Délhi, a Índia comemorou neste domingo seu Dia da Independência, marcado por um rápido crescimento econômico, mas também por pobreza e separatismo. "A taxa de crescimento econômico foi melhor que a da maioria dos demais países. Hoje, a Índia está entre as economias do mundo que mais crescem", disse o primeiro-ministro, Manmohan Singh, em discurso à nação. Leia mais...

 

 

CRIPTOGRAFIA PARA A LIBERDADE
15 de agosto de 2010

Em mais uma iniciativa pioneira para melhorar e facilitar a comunicação segura entre os nossos militantes, o Movimento Pampa Livre lança o projeto CRIPTOGRAFIA PARA A LIBERDADE, que consiste na disponibilização do software Thunderbird portável customizado com criptografia OpenPGP e um completo video-tutorial que ensina, passo-a-passo, desde a escolha de um pen drive até o envio e recebimento de mensagens criptografadas; tudo em português.

Esta é a resposta dos livres da República Rio-Grandense contra a recente sofisticação da máquina de crimes, ódio e opressão operada pelo império brasileiro.

Faça o download do software e veja o video-tutorial. Aprenda, utilize e incentive todos a utilizarem e, assim, construirmos uma rede segura de comunicação para garantir que atingiremos os nossos objetivos de liberdade ao mesmo tempo em que criamos dificuldades crescentes para a gestapo brasileira.

 

 

 

Exijo ser tratado como bandido
Gilberto de Oliveira Kloeckner
Professor da UFRGS

Nos últimos meses, a minha família tem se dedicado a cumprir a profecia do Paulo Sant’Ana: aquela de que você ainda será assaltado. Entre um boletim de ocorrência e outro, corridas a bancos para cancelar os cartões de crédito, esperas em antessalas de delegacias e seguradoras, tenho tido algumas ideias como, por exemplo, distribuir senhas para os meus assaltantes ou instalar uma porta giratória lá em casa para facilitar a entrada e saída dos meliantes. Talvez estes procedimentos tragam um pouco de ordem e conseguirei algum progresso para sair deste caos. Ordem e progresso... já li isso em algum lugar? Bem, mas não vem ao caso. Vamos ao que interessa.

O que eu realmente quero é ser tratado como bandido neste país. Exijo os mesmos direitos constitucionais. Não deixo por menos. Quero isonomia de tratamento. Explico. Primeiramente, quero ter o direito de ir e vir livremente, a qualquer hora do dia ou da noite, caminhar pelas ruas e parques, sem preocupações, e não viver mais com medo, atrás de grades e barras de ferro. Igualzinho aos bandidos.

Exijo, também, ter o direito de defender a minha família e o meu patrimônio com armas apropriadas. Atualmente a legislação só permite que eu utilize em minha defesa uma faca de pão (com lâmina inferior a 10 centímetros) e um cabo de vassoura. Usados com muita moderação. Ai de mim se eu machucar o meliante! Aí sim eu vou sentir na pele o que é o rigor da lei brasileira. Quero ter uma arma de verdade, adquirida livremente no comércio local, sem necessidade de porte, exame de tiro, psicotécnico e pagamento de taxas. Quero também poder usá-la e não precisar estar ferido pelo arrombador, dentro da minha própria residência, para começar a defesa da minha vida. Enfim, tudo aquilo que não se aplica aos bandidos não deve ser aplicado a mim.

Tem mais. Não quero mais pagar imposto sobre o produto do meu trabalho (aquilo que os meus ex-alunos, hoje na Receita Federal, teimam em chamar de “renda”). Bandido não é tributado, não paga imposto sindical nem conselho regional. Exijo o mesmo tratamento fiscal. E, se por acaso eu ficar impedido de trabalhar, gostaria que meus filhos e esposa recebessem uma pensão do Estado, todo o santo mês, igualzinho aos filhos e esposas dos bandidos. Afinal, minha família também merece um tratamento assim, justo e diferenciado. E digo mais: cairia muito bem um acompanhamento de alguma ONG de direitos humanos para fiscalizar o processo e cuidar do nosso bem-estar.

E, se um dia eu vier a dar entrada no Pronto Socorro com algum ferimento grave, gostaria de ter a mesma prioridade no atendimento que os criminosos. Afinal, eu ainda pago imposto (o que eu espero seja extinto em breve) e faço, como professor, a minha contribuição para o desenvolvimento desta florescente economia. Mas, se algum dia, por um infortúnio eu vier a cometer algum ato ilícito e for preso, espero ter um apoio jurídico gratuito imediato e que a área judiciária tenha a mesma consideração comigo, liberando-me rapidamente. Afinal, eu tenho coisas mais importantes a fazer na vida como esta, a de buscar igualdade de tratamento perante a lei com os meus compatriotas contraventores. Afinal, é meu direito constitucional.

 

 

 

 

Moscou promete apoiar regiões separatistas da Geórgia
08 de agosto de 2010


O presidente russo, Dmitry Medvedev, prometeu neste domingo fornecer mais suporte às regiões separatistas georgianas, no segundo aniversário da guerra entre Rússia e Geórgia. "Dois anos atrás, a Geórgia provocou um conflito sangrento", disse ele em entrevista concedida à televisão. "Este dia continuará para sempre na nossa memória como um dia de luto e o dia em que Rússia fez uma decisão para proteger a paz dos civis."
Leia mais...

 

 

 

Índios querem Estado  independente ocupando 46% das terras de  Roraima
02 de agosto de 2010

Por Matheus Leitão e Leonardo Souza –Folha de S.Paulo, Jornal do Brasil e outros
Um relatório da Abin revela preocupação com a criação de um Estado indígena independente em Roraima, "com apoio de governos estrangeiros e ONGs".

O documento, ao qual a Folha teve acesso, foi enviado pelo serviço secreto para o GSI (Gabinete de Segurança Institucional) da Presidência em 2010. O texto diz que índios do Estado teriam o desejo de "autonomia política, administrativa e judiciária". - (Em nota, o GSI afirmou que "não se pronuncia sobre atividades de inteligência").

O relatório diz que o CIR (Conselho Indígena de Roraima) "passou a defender abertamente a ampliação e demarcação de outras terras indígenas" após o julgamento da reserva Raposa/Serra do Sol pelo STF em 2008. Sem fazendeiros, produção de arroz na Raposa/Serra do Sol retrocede a patamar de oito anos atrás.

A preocupação da Abin é que o CIR forme "um cinturão de reservas indígenas". Segundo a Funai, as 32 terras indígenas de Roraima ocupam 46% da área do Estado.

Apesar das rivalidades entre as nove etnias indígenas de Roraimna --que dificultam a criação de um Estado independente-- a Abin acredita na existência de milícias armadas. "Revólveres e espingardas foram encontrados e teriam sido contrabandeadas da Venezuela e da Guiana."

A Abin diz ainda que a advogada licenciada do CIR, Joênia Batista de Carvalho, confidenciou um desejo dos índios junto ao Congresso: a transformação da Raposa/ Serra do Sol no primeiro território autônomo indígena.

A agência também se mostra preocupada com a ratificação do Brasil à Declaração dos Direitos dos Povos Indígenas, assinada em 2007 na ONU. Para a Abin, se confirmado pelo Congresso, torna ineficaz "as restrições elaboradas pelo STF ao usufruto da terra pelos índios".

 

 

 

Rumo à independência
Catalunha proibe touradas espanholas

A região da Catalunha proibiu no último 28 de julho as touradas e reabriu um debate sobre a autonomia local e a identidade da Espanha. Muitos ativistas que lutam pela independência da região argumentaram que as touradas são uma tradição imposta pelos espanhóis. Leia mais...

 

 

 

Decisão da Corte Internacional sobre o Kosovo abre portas para o separatismo
26 de julho de 2010

O aval dado na última quinta-feira pela Corte Internacional de Justiça à separação do Kosovo da Sérvia pode abrir as portas para outros movimentos separatistas buscarem sua independência... Leia mais...

 

 

 

Brasil tem o 3º pior índice de desigualdade domundo
23 de julho de 2010

Em seu primeiro relatório sobre desenvolvimento humano para a América Latina e Caribe em que aborda especificamente a distribuição de renda, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) constatou que a região continua sendo a mais desigual do planeta. Dos 15 países do mundo nos quais a distância entre ricos e pobres é maior, 10 estão na América Latina e Caribe. O Brasil tem o terceiro pior Índice de Gini - que mede o nível de desigualdade e, quanto mais perto de 1, mais desigual - do mundo, com 0,56, empatando nessa posição com o Equador. O Brasil está no mesmo patamar da Bolívia, Camarões, Madagascar e Haiti.

Na região, os países onde há menos desigualdade são Costa Rica, Argentina, Venezuela e Uruguai, com Gini inferior a 0,49. Na média, segundo o Pnud, puxado pelo Brasil, o Índice de Gini da América Latina e do Caribe é 36% maior que o dos países do leste asiático e 18% maior que os da África Subsaariana.

Fonjte: O Globo

 

 

 

Tribunal da ONU declara que independência do Kosovo é legal
23 de julho de 2010

A Corte Internacional de Justiça, o principal órgão judicial da ONU, anunciou nesta quinta-feira que não considera ilegal a declaração unilateral de independência de Kosovo em relação à Sérvia, anunciada em 2008.

O tribunal em Haia, na Holanda, analisou a alegação da Sérvia de que a declaração de Kosovo, considerada por Belgrado uma província sérvia, violou sua integridade territorial.

Ao se dirigir à corte, o presidente do tribunal, Hisashi Owada afirmou que a lei internacional "não contém proibição aplicável" à declaração de independência de Kosovo.

"(A corte) conclui que a declaração de independência em 17 de fevereiro de 2008 não viola a lei internacional geral", acrescentou.

Apoio

A decisão da Corte Internacional de Justiça não tem efeito vinculante - os países da ONU não são obrigados a levá-la em consideração -, mas ela poderá ajudar Kosovo a conseguir um reconhecimento maior.

Autoridades de Kosovo afirmaram que agora depende da Sérvia tratar o território como um Estado soberano. A Sérvia, por sua vez, afirmou que vai continuar defendendo sua soberania.

Os Estados Unidos e muitos países da União Europeia (entre eles Grã-Bretanha e os vizinhos Albânia e Croácia) apoiam a independência de Kosovo. No entanto, muitos outros, como Rússia, China e Bósnia são contra a independência da ex-província.

Após a declaração de independência, o Itamaraty disse que o Brasil iria esperar um parecer da ONU sobre o tema antes de assumir uma posição.

Até o momento, 69 dos 192 países membros da ONU são favoráveis a um reconhecimento.

E, de acordo com o correspondente da BBC em Belgrado Mark Lowen, outros países com problemas de separatismo poderão receber a decisão desta quinta-feira com preocupação.

Mais cedo, o comandante da força de paz da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) disse que há dez mil homens de prontidão no caso de qualquer violência resultante da decisão.

"Não temos qualquer indício de nervosismo ou de possível ameaça na região", disse o general alemão Markus Bentler, da Força de Proteção de Kosovo, K-for.

História

As forças sérvias foram expulsas de Kosovo em 1999 após um bombardeio por forças da Otan que teve como objetivo dar fim à violenta repressão contra a população albanesa da então província - que constituía 90% dos dois milhões de habitantes de Kosovo.

Kosovo foi administrada pela Organização das Nações Unidas (ONU) até fevereiro de 2008, quando seu parlamento, após uma votação, declarou a independência do país.

Acredita-se que algumas nações mudem suas posições depois da decisão da Corte Internacional de Justiça.

A Sérvia ainda considera Kosovo parte de seu território e questionou a legalidade da declaração de independência junto à ICJ, em Haia.

No início das deliberações, em dezembro de 2009, representantes da Sérvia argumentaram que a medida fere sua soberania e desrespeita a lei internacional.

Representantes de Kosovo, por sua vez, alertaram que qualquer tentativa de reverter a independência pode resultar em conflitos futuros.

Confrontos

Embora sem efeitos práticos imediatos, o parecer da corte servirá como um referencial para diplomatas que tentam estabelecer um relacionamento entre a Sérvia e Kosovo.

O impasse é um obstáculo às esperanças sérvias de entrada na União Européia e prejudica a capacidade de Kosovo de atrair investimentos estrangeiros.

Além disso, regiões da região norte de Kosovo continuam divididas entre albaneses e sérvios, gerando tensão e confrontos ocasionais.

"A primeira e mais importante consideração para qualquer governo democrático no mundo é a preservação de sua soberania e integridade territorial", disse o ministro das Relações Exteriores da Sérvia, Vuk Jeremic, à BBC.

"Esperamos que a corte não endosse a legalidade do ato unilateral de separação, porque se fizer isso, nenhuma fronteira em qualquer lugar no mundo onde existam ambições de separação estará segura".

Durante uma reunião com o primeiro-ministro de Kosovo, Hashim Thaci, em Washington, na quarta-feira, o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, reafirmou o apoio integral do seu país "a um Kosovo independente, democrático, inteiro e multiétnico", segundo uma declaração da Casa Branca.

Fonte: O Globo

 

 

 

Retrato de uma República das Bananas
General brasileiro chama Brasil de potência com os pés de barro
21 de julho de 2010

Segundo o General Rocha Paiva, o Brasil é "uma potência com pés de barro, cuja expressão mundial depende principalmente da exportação de commodities com baixo valor agregado, da prestação de serviços por algumas empresas e instituições e do  mercado interno. Há um desequilíbrio interno fruto da indigência bélica; da debilidade nas áreas de educação, indústrias de valor estratégico, ciência, tecnologia e inovação; da crise de valores morais..." Leia mais...

 

 

 

 

Angola reafirma apoio à autodeterminação do Sahara ocidental
16 de julho de 2010

Luanda – O presidente da República, José Eduardo dos Santos, reafirmou o apoio do povo e do governo angolano ao direito do povo Saharaui à autodeterminação e independência no âmbito dos acordos assinados sob a égide das Nações Unidas.
 

A mensagem vem expressa no comunicado final da visita do Presidente da República Sharaui Democrática, Mohamed Abdelaziz, divulgado hoje, quinta-feira, em Luanda.
 
De acordo com o documento, os dois Chefes de Estado passaram em revista a situação no Sahara Ocidental e manifestaram-se preocupados com a conjuntura prevalecente no território.
 
Os dois Chefes de Estado analisaram igualmente, no encontro mantido em privado, a situação política, militar e de segurança no continente africano e no mundo, bem como analisaram questões de interesse comum a nível bilateral.
 
Mohamed Abdelaziz agradeceu ao povo angolano e ao executivo pelo permanente apoio solidário à causa do povo Saharaui e felicitou o Chefe de Estado angolano pelos progressos alcançado nos domínios da paz, democracia e reconstrução nacional. 
 
O importante papel que o José Eduardo dos Santos tem desempenhado na promoção e defesa dos interesses superiores dos povos do continente foi igualmente saudado pelo líder da Frente, lê-se no documento.      
 
No final, o líder da Frente Polisário exprimiu os seus agradecimentos ao seu homólogo angolano pelo acolhimento fraterno e amigável a si reservado e respectiva delegação, bem como pelas condições de trabalho colocadas à disposição da sua delegação durante a visita.

O Presidente da República Árabe Saharaui Democrática terminou hoje (quinta-feira) a visita oficial de dois dias a Angola, inscrita no âmbito das relações de amizade e cooperação existentes entre os dois países.

Fonte: AngolaPress

 

 

 

 

HAARP: Multiplicam-se as denúncias contra os Estados Unidos
Haarp e o terremoto de 8.8 no Chile em 27-Fev-2010
10 de julho de 2010

A repórter chilena Cecilia Lagos disse em entrevista à CNN que viu luzes no céu durante o terremoto. Essas luzes são sinais já identificados em outros locais, antes de um terremoto, onde se suspeita da utilização do HAARP, arma concebida por Nicola Tesla e suspostamente capaz de produzir terremotos, entre outros efeitos em larga escala. As luzes no céu são uma espécie de efeito-colateral do HAARP que, ao induzir gigantescos campos eletromagnéticos na ionosfera, reproduz o fenômeno da Aurora-boreal.

O HAARP e os recentes eventos sísmicos, podem ter relação direta, uma das explicações é que a ionosfera aquecida reflete campos eletromagnéticos no solo, alcançando bolhas gasosas subterrâneas que, super-aquecidas, buscam pela alta pressão escapar, provocando o levante da terra.

Os recentes terremotos na China, Venezuela, Haiti são outros já denunciados como produzidos pelos Estados Unidos com o uso da arma HAARP.

 

 

 

Para pensar: Bandeira da PAZ versus bandeira gay
09 de julho de 2010

Em pouco mais de uma década a imprensa internacional, de forma coordenada, transformou o símbolo da paz, a bandeira do arco-íris, em um simbolo do homossexualismo. Você notou esta mudança? Você já se perguntou como e porquê isso aconteceu?


Bandeira na parada gay de São Paulo


Paz em inglês


Misisonárias religiosas com a bandeira e a inscrição PACE ("paz" em italiano)


"PAZ" em inglês, em manifestação contra os ataques israelenses

 

 

 

Manifestação separatista no sul do Iemen
09 de julho de 2010


Pelo menos duas pessoas morreram hoje e outras oito ficaram feridas pelos disparos da polícia iemenita contra uma manifestação de grupos separatistas no porto de Áden, no sul do Iémen.

Segundo as fontes, as forças anti-motim, que também usaram bombas de gás lacrimogéneo, lançaram os artefactos contra centenas de pessoas que participavam numa manifestação.

Os manifestantes lembravam os combates das forças separatistas do sul contra as tropas do Governo de Sana em 1994.

Fonte: Diário Digital

 

 

Greenpeace: seguindo o rastro do dinheiro
09 de julho de 2010


Rio, 29/jun/10 (Alerta em Rede) - “O Greenpeace, desde seu início, definiu que só receberia dinheiro de doadores individuais, como faz até hoje. Essa decisão fechou nosso acesso a um volume considerável de fontes de financiamento. Por outro lado, lançou os alicerces para um tipo de atuação completamente independente, que até hoje é admirada e reforça o nosso comprometimento com a busca de um futuro melhor para a sociedade.” (Site do Greenpeace, acessado a 27 de junho de 2010).

O Greenpeace é uma organização independente, que recusa o financiamento de grandes empresas e sobrevive graças às colaborações individuais de milhões de simpatizantes de todo o mundo. Certo?
Errado. Por detrás da nobre retórica, há uma realidade tão putrefata como as reais intenções de tais organizações: as linhas de financiamento de fundações privadas do Establishment anglo-americano, como a Rockefeller, Charles Stewart Mott, Turner e MacArthur. De fato, o volume de captação do Greenpeace proveniente dessas fundações tem sido constante.

No rastro do ensurdecedor silêncio do Greenpeace e caterva em relação à tragédia ambiental no Golfo do México, proporcionada pela negligência de uma das maiores empresas do setor petrolífero mundial, a BP, vieram à tona as ligações do aparato ambientalista com a empresa britânica e, não menos, as do Greenpeace com aquelas instituições do Establishment
.

Segundo informações divulgadas pelo Projeto Activist Cash, criado pelo Center for Consumer Freedom (importante associação de consumidores estadunidenses), a “tropa de choque verde” tem recebido, de forma constante, verbas de instituições de fachada de grandes empresas transnacionais – inclusive do setor petrolífero (Libertad Digital, 5 de maio).

O blog Desde El Exílio aprofundou a investigação, e apresentou uma relação de contribuições ao Greenpeace-EUA, por entidade. O rastreamento de tais informações foi realizado através da análise das declarações de impostos das suas fachadas para captação de recursos nos EUA: Greenpeace Foundation, Greenpeace Fund Inc., Greenpeace Inc. e Greenpeace Vision Inc. A legislação americana obriga as ONGs a
apresentarem, anualmente, uma declaração discriminando rendas e despesas, publicados em documentos oficiais conhecidos como IRS Form 990 (Return of Organization Exempt From Income Tax).

Assim, revelou-se, por exemplo, que de 2001 a 2008, o poderoso Rockefeller Brothers Fund doou ao Greenpeace U$ 1.150.000.

A Charles Stewart Mott Foundation, cujo fundador foi o pai de um dos maiores grupos industriais automobilísticos do mundo, a General Motors – GM, também figura na lista de financiadoras do Greenpeace-EUA, com 199 mil dólares, entre 2002 e 2008.

Um dos maiores impérios de comunicação do mundo, de propriedade de Ted Turner, figura na lista de apoiadores do Greenpeace, representado pela Turner Foundation. A fundação de Turner, fundador e acionista majoritário de empresas como a CNN, TNT, AOL Time Warner, doou 450 mil dólares à ONG, entre 1999 e 2001.

Outra revelação interessante é a contribuição financeira da MacArthur Foundation ao Greenpeace. Criada em 1970, a fundação tem um histórico de atuação que visa a imposição do intervencionismo ambientalista em países subdesenvolvidos. Entre 1997 e 2002, ela doou ao Greenpeace US$ 841.365. Outras contribuições muito expressivas foram: US$ 32.814.450 à Conservation International, entre 1992 e 2001; US$ 8.741.000 ao WWF, entre 1992-2003; US$ 870.000 à Friends of the Earth.

Estas informações podem se restringir ao Greenpeace-EUA, mas se relacionam diretamente com a rede mundial do ambientalismo, uma vez que o escritório estadunidense da “multinacional verde” é um dos poucos superavitários, realocando parte dos seus recursos para os deficitários – dentre os quais, o escritório brasileiro.

Uma vez mais, se comprovam as denúncias de investigadores sérios de todo o mundo, que este Alerta tem divulgado constantemente, quanto ao atrelamento visceral do ambientalismo internacional com o Establishment anglo-americano, do qual deriva a sua agenda antidesenvolvimentista e pró-status quo das relações de poder econômico e político no mundo.

 

 

 

 

32% dos brasileiros com ensino superior não são plenamente alfabetizados
08 de julho de 2010
 

Se você consegue ler e interpretar um texto como este, você faz parte de uma elite no Brasil: o seleto grupo dos plenamente alfabetizados. Segundo a pesquisa Indicador de Alfabetismo Funcional (Inaf), divulgada pelo Ibope nesta semana, apenas 25% da população brasileira se enquadra nesta categoria – e o número não deve crescer tão cedo.
Ao contrário da alfabetização básica (capacidade de entender textos curtos), que cresceu 9% desde 2007, a alfabetização plena parece estar fora do alcance do sistema educacional brasileiro. Essa contradição aparece no estudo com um misto de boas e más notícias: por um lado, a porcentagem de analfabetos funcionais no país chegou ao seu menor patamar da história (28%). Por outro, o número de brasileiros plenamente alfabetizados não só deixou de crescer como caiu 3% em relação a 2007. Desde o início da década, o índice permanece estagnado, apesar dos avanços em todos os outros níveis de alfabetização.
De acordo com o relatório da Inaf, o problema atinge até as universidades: 32% dos brasileiros com ensino superior completo ou incompleto não podem ser considerados plenamente alfabetizados. "O número é assustador", afirma a pesquisadora Vera Masagão, uma das coordenadoras do estudo. "Ele mostra que, com a popularização do ensino superior, a qualidade pode estar caindo."
Na teoria, o ensino médio completo bastaria para que qualquer pessoa fosse capaz de compreender e interpretar textos longos. Na prática, menos da metade dos alunos comprovaram essas capacidades. "Isso tem a ver com a qualidade da escola, que é insuficiente e não garante um aprendizado mínimo", diz Vera.
Ela afirma que, caso as tendências atuais se mantenham, o analfabetismo funcional deve continuar a cair de forma acentuada – principalmente entre pessoas de baixa renda, que antes não tinham acesso nem mesmo ao ensino fundamental. Para diminuir o abismo entre a alfabetização básica e a plena, no entanto, o acesso não é o bastante: é preciso investir na qualidade.Realizada desde 2001, a pesquisa avalia a capacidade de leitura de textos e aplicação de operações matemáticas básicas de brasileiros entre 15 e 64 anos. Neste ano, foram entrevistadas 2.000 pessoas em regiões rurais e urbanas de todo o país.
Os quatro níveis de alfabetização, segundo o Indicador de Alfabetismo Funcional:
Analfabetismo
Não conseguem realizar tarefas simples que envolvem a leitura, embora consigam ler números familiares (telefones, preços, etc.).

Alfabetismo rudimentar
São capazes de localizar uma informação explícita em textos curtos e familiares (como um anúncio ou pequena carta), ler e escrever números usuais e realizar operações simples, como manusear dinheiro para o pagamentos. São considerados analfabetos funcionais.

Alfabetismo básico
Leem e compreendem textos de média extensão, localizam informações mesmo que seja necessário realizar pequenas inferências e resolvem problemas envolvendo uma sequência simples de operações. No entanto, mostram limitações quando as operações requeridas envolvem maior número de etapas ou relações.

Alfabetismo pleno
Conseguem compreender e interpretar textos longos, distinguem fato de opinião, realizam inferências e sínteses. Quanto à matemática, resolvem problemas que exigem maior planejamento e controle, envolvendo percentuais, proporções e cálculo de área, além de interpretar tabelas, mapas e gráficos.
Fonte: REVISTA ÉPOCA 03/12/2009 - 09:03 - ATUALIZADO EM 03/12/2009 - 09:03

 

 

 

 

 


Brasão da República Rio-Grandense pintado em um muro

 

 

 

Separatistas têm vitória histórica na Bélgica
23 de junho de 2010

O N-VA, liderado por Bart de Wever, propõe a divisão gradual da Bélgica.No entanto, o partido deverá fazer compromissos com outros partidos para reformar o Estado belga e equilibrar as finanças públicas.

A vitória histórica do partido separatista Nova Aliança Flamenga (N-VA) deve agravar ainda mais a crise política belga. O vencedor N-VA defende a gradual dissolução da Bélgica e a independência da rica região de Flandres, ao norte do país. Com dez anos de existência, o partido tinha uma bancada de apenas sete deputados.

O eleitorado flamengo representa 60% da população do país. Além do N-VA, o desempenho de dois outros partidos separatistas flamengos, o Vlaams Belang, de extrema-direita, e o partido populista Lista de Decker, alcançou 45% o total de votos.

Esses resultados dão ao líder do N-VA, Bart de Wever as maiores chances para assumir o cargo de futuro primeiro-ministro belga. Ao comentar sua vitória De Wever afirmou “os resultados não significam o fim da Bélgica, mas sim uma evolução, onde o país poderá se desdobrar em duas democracias completas”.

Durante a campanha, De Wever, que prevê a dissolução progressiva da Bélgica, disse estar aberto para que um candidato francófono seja primeiro-ministro, desde que isto signifique maior autonomia para a região de Flandres. Neste caso, o candidato francófono mais provável seria o líder do Partido Socialista Elio di Rupo, que foi principal vencedor das urnas na Valônia, sul do país. Seu partido conquistou 26 cadeiras no parlamento.

Especialistas acreditam que a formação de um governo de coalizão será uma tarefa árdua. Nas últimas eleições, há três anos, foram necessários nove meses para um acordo entre francófonos e flamengos. Sem governo, a Bélgica dificilmente poderá assumir a presidência rotativa da União Européia no próximo mês.


Bart de Wever, líder da Nova Aliança Flamenga, comemora
a vitória nas eleições legislativas da Bélgica.

Fonte: RFI

 

 

 

 

Para China, favelas do Rio são segundo pior lugar do mundo
22 de junho de 2010 

As favelas do Rio de Janeiro ficaram na segunda colocação entre os "lugares mais horríveis do mundo", de acordo com um ranking publicado pela Xinhua, agência de notícias do governo chinês, que ainda lista Cubatão (SP) na sétima posição. Favela do Rio de Janeiro

"Em nosso grande mundo, há também cidades horrendas, habitadas por uma subcultura de poluição, pobreza e gângsteres. Aqui, você vai descobrir alguns dos lugares mais poluídos e violentos", afirma a introdução do texto, disponível desde anteontem em chinês e em inglês no site da Xinhua. 

"Tiroteios frequentes entre traficantes e polícia e outros criminosos, assim como várias atividades ilegais, fizeram daqui o lugar mais perigoso", diz o texto sobre as favelas cariocas, que só perdem para a favela de Dharavi, em Mumbai, na Índia. 

Já Cubatão, ilustrada na lista por um cadáver cheio de formigas, aparece porque, "no final dos anos 1970, uma série de artigos de jornais na imprensa de São Paulo descreveu a região (...) como o "vale da morte" e a "cidade mais poluída do mundo'". 

Nenhum dos nove lugares "mais terríveis" está na China, apesar de o país ter algumas das cidades mais poluídas do mundo. 

Segundo o ranking do Instituto Blacksmith, com sede em Nova York e especializado em poluição, duas cidades chinesas, Linfen e Tianying, estão entre as dez mais contaminadas do planeta.

A lista da Xinhua inclui ainda Tchernobil (Ucrânia), Mogadíscio (Somália), a também poluída cidade de Dzerzinsk (Rússia) e comunidades pobres do Quênia, da Zâmbia e do Camboja. 

A agência mantém o site de notícias mais visitado da China e o terceiro do mundo, com cerca de 800 milhões de acessos diários.

Fonte: Folha

 

 

 

Lula dança quadrilha
Só nesta dança a quadrilha torrou R$ 215 mil
20 de junho de 2010

Por Jorge Serrão

No centro do poder brazileiro, lá pros lado do Detrito Federal, tivemu onti à noiti o Arraia do Torto. Nhô $talinácio e nhá Marisa torrarum R$ 215 mil. Dani-si si o dinheru saiu dus cofri púbrico...
Na festança particulá deles, os jornalista ganharu uns pão de Santo Ontonho e umas muda de pau pombo.. Fartou a Dirma vistidadinoivia, pra casá com o tal de Palhaço do Planarto. Mas o casamento num daria certu perque num dá pra aturá o tarl de Michel Temer de amanti... Di resto, Anarriê, que as água rolaram por lá. $talinácio devi te cabado torto... Como sempri... Só pra vareiar...


Lula usando trajes típicos brasileiros

 

 

 

 

A fitoterapia envenenada
Mensagem de um brasileiro para o Povo Gaúcho

De:             Cleber <contato@fitoterapiasantafe.com.br>
                   Santa Fé do Sul - São Paulo
                   Telefone: (17) 3631-2451

Data:           08 de junho de 2010 
Para:           Povo Gaúcho

Os caras querem separar da mulherer, para ir com outro macho.
E as mulher querem separar do maridos para ir com as lesbicas.

Uma cambada de lesbica e viado, que na verdade quererm o país dos viados.

Ondem o país que quererm criar, vai ter MOTEL de viado e lesbica, dado pelo gorverno.

Para de candidatar, tem que provar que é viado e lesbica.

A prova vai ser assim.

Tem que provar, para um juiz ou juiza que é viado ou lesbica, que aquele par tambem é viado ou lesbica, tem que provar com fotos de sacanagem deles.Este sera o país dos separatistas, uma cambade viado e lesbica, que não se assumem, estão procurando outras alternativas, que na verdade , é para assumirem seus lados sexuais.

Gente toma vergonha na cara, nos vivemos no seculo 21 ou XXI, assumem a realidade, e deixa desta de separatismo,
Para ser viado não precisa ter país proprio não, tem produtos para vc , em qualquer lugar do mundo, vcs estão tendo muitos direito e ainda vai ter mais.

Montam uma fundação dos VIADOS, ou LESBICAS, para reger o futuro de vcs,

Querem se separar, do meio dos homems de verdade,e das mulheres de verdade,
Fala a verdade que vcs não aguentam mais viver esta situação , e que querem um país proprio fica mais bonito.

Ai sim vc vão demontrar os objetivos de vcs.

Porque ate agora no sentido de valorizar o rio grande do sul, o brasil todo sabe, de suas culturas, inclusive de viados .....

Gentem quem foi sem querer, ofender, mas ésta é a impressão que vcs passam com esta historia, sem fundamento de nada.

REPUBLICA INTERNACIONAL DOS VIADOS E LESBICAS/.COM DIREITO A UMA BANDEIRA QUE VCS VÃO CRIAR


NA FRONTEIRA DO SEUS PAÍS VAI ESTAR ASSIM.

PARA ENTRAR AQUI É PRECISO PROVAR QUE VC É VIADO OU LESBICA,
SOMENTE COM COMPANHEIRO E PROVAS DE CONVIVIO, QUE PODE SER UMA FOTO, UM BEIJO, UMA CENA PICANTE,
QUEM DESRESPEITAR ESTAS REGRAS SERA PRESO, E CONDENADO A MORTE

Caras, o mesmo jeito que tem viado gaucho, tem viado americano, alemão, paraguaio,
chileno, etc.
Não adianta correr, sempre o pau entra atras, não adianta.

Os imigrantes que vieram ai, que vc elogiam, é o locais que mais tem viado.
Querm mais viado que na ALEMANHA???La tem viadagem na praça, na rua, um comendo
outro. etc.

Os polos da viadagem esta ai no SUL,trazido pelo europeus viados.



CLEBER .
Fitoterápicos envenenados
www.fitoterapiasantafe.com.br

Veja também:

 

 

 

 

 

 

 

Ódio e racismo brasileiro
Mensagem do brasileiro Gerson Luiz Martins Pacheco para os Gaúchos.
Informações indicam que Gerson Luiz Martins Pacheco é um dos corruptos que recebem mensalão do governo dos Estados Unidos.

Gerson Luiz Martins Pacheco racista anti-gaúchoDe:     Gerson Luiz Martins Pacheco <gerson.pacheco5@gmail.com>
Data:    05 de junho de 2010 
Para:    Povo Gaúcho

Os gauderiantes fazem um favor ao Brasil ao se afastarem e construir um paizéco de coco vizinhando com Uruguai, Argentina... Vão azucrinar "Los Hermanos Argentinos e Uruguaios".
O Brasil precisa urgentemente apartar o Rio Grande do Sul! VO povo brasileiro tem vergonha do estado quase desgarrado de si. O Rio Grande devia pertencer ao Uruguai ou Argentina ou... Bem os Paraguaios não querem vínculos com os bairristas egoistas! Não suportamos mais este estadinho onde mais da metade dos guaipécas são viados pelotenses e feito lavadeiras ficam na janela da rede fazendo fofocas dos outros estados.
Falam mau dos catarinenses porque a mãe de alguns foi passar férias conjugais em Floripa e voltou grávida do espírito "praiano".
O Brasil não merece ser tachado de nazista por causa de um bando de recalcados sulistas.
São uns machistas que gritam forte quando são enrrabados pelos catarinenses, paranaenses e pelos nordestinos de vara de jegue que os fazem gritar; mas bá tchê, que guasca grande!
Vão dar o cú lá na Andradas ou rua da praia seus viadinhos gauderiantes baitolas e deixem de se dizer brasileiros. Parem de nos envergonhar, consigam logo este separatismo para apartarem-se de nós suas frutinhas bichadas! Vão babar nos ovos de outros seus marícas bebedores de erva cozida. Se vocês falessem qualquer coisa não ficariam gritando para o mundo ouvir. Calem-se seus trovadores de bucho de lavagem!
São os que mais comem carne no Brasil, os mais brutos e cheios de toxinas angariadas nestas panças. Depois vão canalizar a energia excessiva rebolando no cajardo dos catarinenses seus baitolas!

A gauchada está saindo do armarinho e mostrando as calcinhas cor de rosa. Você tem que ver a quantidade de caminhoneiro gaúcho que se atraca com traveco nos postos de gazolina pelo Brasil a fora e chega em casa com a bunda ardendo e surra a esposa chifrada por não ter mais enteresse em mulher. E tem aqueles que vivem fazendo "fio terra" e defendendo separatismo. No fundo mesmo eles tem "outro por dentro", por trás é claro. A coisa que mais tem no Brasil é piada de gaúchitinho viado, por que será? Você mesmo deve conhecer umas quarenta no mínimo. Eles estão revoltados e querem separação, divórcio porque foram descobertos na sua opção sexual.
Eles querem se esconder nos pampas sem serem vistos pelos forasteiros... Querem dar o que quiserem sem ter que prestar conta ao povo Brasileiro. São uns safados que vivem fazendo sexo com vacas, éguas, mulas, porcas e muitos preferem os jegues bem dotados. No fundo eles adoram morder a fronha e sentir alguém fungando em seu cangóte. Das mulheres lésbicas não vou falar, porque são mulheres e não escodem a vagina...

Gerson Luiz Martins Pacheco
gerson.pacheco5@gmail.com

 

 

A identidade de Gerson Luiz Martins Pacheco foi verificada cuidadosamente e confirmada através de várias fontes independentes, que não somente confirmaram o nome completo do mesmo, mas também proporcionaram fotos e outras informações.

A mensagem acima reproduzida é apenas uma das dezenas escritas pelo mesmo indivíduo, todas com conteúdos similares. Qualquer tentativa de negar que escreveu este conteúdo não deve ser entendida de outra forma que não como uma confirmação da má-fé e falta de caráter deste Gerson Luiz Martins Pacheco.

 

Veja também:

 

 

 

Brasília, a capital da corrupção
Vergonhosa, escandalosa, calamitosa. Decadente, incandescente, inconsciente. “Estevanizada”, “Roririzada”, “Arrudizada”. O dinheiro roubado domina a vida pública. 

02 de junho de 2010

Quando se imaginava e até acreditava, que a corrupção de Brasília havia atingido o máximo, seria impossível cair mais, veio abaixo, e com estrondo. Todos os que estavam em palanque eleitoral, desabaram, perdão, foram jogados longe, só que para o alto. 

No momento, se trava luta pelo domínio daquilo que já foi um deserto completamente devastado e se transformou na maior riqueza à flor da terra. O deserto se POVOOU, só que apesar da palavra, o que não há em Brasília é POVO. Agora, vários grupos de CORRUPTÍSSIMOS, de apenas CORRUPTOS, e vá lá, de CORRUPTUZINHOS, se enfrentam para conquistar o Poder ou para não perdê-lo. 

Quatro grupos se articulam, se juntam, se enfrentam, se harmonizam, apesar de há anos e anos não fazerem outra coisa a não ser o “compromisso da obsessão”: minha conta bancária não pode ser menor do que a tua. 

A impressão a respeito do “dinheiro que corre” por lá, é tão fantástica, que não há mais dúvida. A capital foi descoberta, plantada e construída, na base da carta de Pero Vaz Caminha: “A terra é tal maneira dadivosa, que em se plantando, dar-se-á nela tudo”. Principalmente essa árvore descomunal conhecida como CORRUPÇÃO.

Fonte: Tribuna da Imprensa, 01 JUN 2010

 

 

 

COMPLETAM-SE DOIS ANO NESTE 01 DE JUNHO DE 2010
GAÚCHO É VÍTIMA DE LINCHAMENTO NO BRASIL POR USAR PILCHA
01 de junho de 2010

Hoje completam-se dois anos que o Gaúcho Gotardo dos Santos, 55 anos, natural de Sarandi (RS) foi agredido por um grupo de brasileiros quase até a morte , em Florianópolis. Conforme testemunhas, a agressão ocorreu simplesmente porque Gotardo vestia a pilcha típica gaúcha. Gotardo ficou 30 dias em estado de coma e 50 dias internado na UTI e vai ter sequelas pelo resto da vida enquanto a sua esposa, abalada com a tentativa de linchamento, sofreu um acidente vascular cerebral (AVC), e também foi internada na UTI.

Neste 01 de junho de 2010, às 20:00 horas, exatamente um ano após esta tentativa de linchamento que marca um novo e mais elevado patamar de agressividade e ódio contra a cultura gaúcha, vamos protestar. Esteja onde você estiver, faça um minuto de silêncio contra o ódio e a intolerância contra a cultura gaúcha e cante o Hino da República Rio-Grandense.

 

 

 

 

 

Brasil é destino de agrotóxicos banidos no exterior
País se tornou principal destino de produtos banidos na União Europeia, EUA e até Paraguai

AE | 30 de maio de 2010

Campeão mundial de uso de agrotóxicos, o Brasil se tornou nos últimos anos o principal destino de produtos banidos em outros países. Nas lavouras brasileiras são usados pelo menos dez produtos proscritos na União Europeia (UE), Estados Unidos e um deles até no Paraguai.

A informação é da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com base em dados das Nações Unidas (ONU) e do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio.

Apesar de prevista na legislação, o governo não leva adiante com rapidez a reavaliação desses produtos, etapa indispensável para restringir o uso ou retirá-los do mercado. Desde que, em 2000, foi criado na Anvisa o sistema de avaliação, quatro substâncias foram banidas. Em 2008, nova lista de reavaliação foi feita, mas, por divergências no governo, pressões políticas e ações na Justiça, pouco se avançou.

Até agora, dos 14 produtos que deveriam ser submetidos à avaliação, só houve uma decisão: a cihexatina, empregada na citrocultura, será banida a partir de 2011. Até lá, seu uso é permitido só no Estado de São Paulo.

Enquanto as decisões são proteladas, o uso de agrotóxicos sob suspeita de afetar a saúde aumenta. Um exemplo é o endossulfam, associado a problemas endócrinos. Dados da Secretaria de Comércio Exterior mostram que o País importou 1,84 mil tonelada do produto em 2008. Ano passado, saltou para 2,37 mil t. "Estamos consumindo o lixo que outras nações rejeitam", resume a coordenadora do Sistema Nacional de Informação Tóxico-Farmacológicas da Fundação Oswaldo Cruz, Rosany Bochner.

O coordenador-geral de Agrotóxicos e Afins do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Luís Rangel, admite que produtos banidos em outros países e candidatos à revisão no Brasil têm aumento anormal de consumo entre produtores daqui. Para tentar contê-lo, deve ser editada uma instrução normativa fixando teto para importação de agrotóxicos sob suspeita. O limite seria criado segundo a média de consumo dos últimos anos.

Fonte Último Segundo

 

 

 

 

A Campanha do Ódio:
O preconceito como instrumento de repressão do Estado Brasileiro

O preconceito é um tema um tanto clichê, sendo amiúde debatido, temos conhecimento de sua essência, mas a coletividade não compreende o seu fundamento, a resposta se encontra na própria palavra, “preconceito”, cujo termo deriva de “pré-conceito” ou seja uma opinião intuitivamente pré-concebida sobre algo sem a existência de base experimental, enquanto que “conceito” requer um aprofundamento detalhado, sendo algo concreto. Por isso classificamos pessoas sem probidade e sapiência de preconceituosas, devido o modo equivocado de encarar determinados assuntos, sem examinar com precisão, julgando algo ou alguém de forma impetuosa e incoerente. Sendo assim, o preconceito é fruto da ignorância, todavia o preconceito não limitou apenas a um juízo antecipado, sendo até mesmo usado como instrumento político com único intuito de causar opróbrio, ou seja a extrema abjeção contra um determinado grupo. Os algozes? A aristocracia política disfarçada de democracia que regulam o Estado brasileiro. O alvo? Os movimentos separatistas sulistas.

Tudo começou quando as idéias separatistas que visavam a independência do sul por via de um processo de emancipação nacional começaram a ganhar força. Sendo que o sul do país possui uma carga tributaria muito superior aos demais estados-membros que constituem a Federação, a independência da região cessaria o processo de colonização no qual são submetidos e isso era visto com grande preocupação pela União, que jamais permitiria perder a sua colônia sulista. A saída foi desmoralizar o Movimento, fazendo o uso indevido dos meios de comunicação, a Rede Globo, cuja manipulação é uma especialidade da emissora monopolista transformou os militantes separatistas em uma organização neo-nazista, chegando ao ponto da mídia chamar um dos principais dirigentes do Movimento de o “Novo Hitler”.

Acusar os separatistas de serem adeptos da ideologia Nazista é de uma gravidade exorbitante que ultrapassa as barreiras da imoralidade, estamos diante de uma cena tipicamente stalinista, onde o Estado erradica seus opositores acusando-os e posteriormente os condenando por crimes que não cometeram e que sequer foram cometidos, fazendo uso do já existente e disseminado preconceito contra o povo gaúcho, o Estado brasileiro intensificou sua Campanha de ódio a população e cultura gaúcha, visando apenas desestabilizar e comprometer a seriedade do Movimento separatista, afinal o maior interesse do Estado não é apenas a desmoralização e a prisão de seus dirigentes, sua  real intenção era de sepultar o ideal separatista, desiludindo seus militantes e simpatizantes, pois os homens morrem, mas as idéias permanecem, por isso desta tentativa impetuosa de prostrar o Movimento impedindo assim levantes futuros.

Este golpe inglório salienta a preocupação do Estado brasileiro em relação aos focos separatistas sulinos, mas os coronéis da política não medirão esforços para combater seus opositores, entretanto eles até podem retardar o processo de emancipação, mas o resultado é inevitável.

O Estado brasileiro acusa os separatistas de Nazismo, sendo ele próprio responsável por adotar medidas racistas, como é o caso do polêmico sistema de cotas para negros em universidades. A idéia de cotas para negros faz parte da chamada política de ação afirmativa, que são políticas que visam ampliar o acesso das minorias a todos os setores sociais, mas que simultaneamente oficializa o racismo no Brasil, pois este sistema subestima o potencial intelectual de um cidadão negro, transparecendo a idéia de inferioridade.

Ironicamente o Governo brasileiro ao em vez de combater o racismo, com políticas publicas, erradicando assim a pobreza, já que 60% dos pobres no país são negros, o Estado prefere adotar uma medida tênue que em vez de atingir a matriz do problema, apenas faz erguer ainda mais o muro da desigualdade que divide brancos e negros. Sendo uma medida medíocre adotada pelo Governo para poupar os gastos que deveriam ser avidamente destinados ao combate a pobreza, seria o mesmo que de forma amadora alguém remenda-se um produto defeituoso ao em vez de solicitar o serviço de um profissional, é o famigerado “jeitinho brasileiro”, que antes era sinônimo de criatividade para solucionar determinadas tarefas, hoje seu significado está mais direcionado a má fé do brasileiro, isso no entanto não poderia ser enquadrado como sendo preconceito ao povo brasileiro, pois existe elementos que autentificam a está idéia abstrata, assim considerado portanto como um conceito.

Apesar disso a base governista formada em sua maioria por apedeutas voluptuosos, admitem tais medidas errantes, mas que avidamente devem ser reavaliadas, fazendo algumas alterações como a adoção de um sistema, cujo critério de reserva de vagas para universidades fossem exclusivamente econômico, não racial. Entretanto os delatores da República que imputaram sem fundamentos os dirigentes do Movimento separatista por fantasiosa analogia com o neo-nazismo esqueceram que o Estado dissemina o ódio contra o povo gaúcho em uma campanha que semelhante ao anti-semitismo difundido na Alemanha durante o Terceiro Reich.

É notório a perseguição aos gaúchos, sendo eles alvos do humor nacional que beira a degradação de todo um povo e a propagação de uma imagem que não condiz com a realidade ao questionar a orientação sexual da figura do gaúcho. O motivo de tal Infâmia se deve ao fato de que devida prosperidade do sul, muitos gaúchos tiveram oportunidades de viajar e estudar em outros países, principalmente na Europa, ao retornarem para o Brasil trazem consigo uma forte influencia cultural e ideológica ao se depararem com o costume côrtes, os brasileiros, cuja ignorância é um traço marcante de sua personalidade não viram com bons olhos toda aquela civilidade, afinal os brasileiros sempre foram um povo bárbaro, mas a campanha de ódio disseminada pelo Brasil indubitavelmente vai além do inescrupuloso humor corrosivo, como é de se esperar da intolerância, ela não se resume apenas na destituição aviltante da dignidade moral, mas também estimula a violência física, como o que aconteceu em Florianópolis no dia 01 de Junho de 2008, quando o gaúcho Gotardo dos Santos, de 55 anos, foi linchado por simplesmente estar trajando a típica pilcha. Resultado das agressões foram os 30 dias em estado de coma e 50 dias na UTI, além das seqüelas que o acompanhará pelo resta de sua vida, enquanto os autores da tentativa de homicídio foram apenas indiciados pelo crime de agressão, possivelmente se a vitima fosse de outro estado brasileiro a historia seria diferente, mas até mesmo autoridades políticas catarinenses deixam evidente a aversão que sentem em relação aos gaúchos, como foi o caso do Governador Esperidião Amim, do PPB que declarou certa vez que para despoluir Florianópolis seria necessário “mandar um pouco dos gaúchos embora”. Contudo não é de se espantar com tais declarações do Governador, já que até mesmo o Presidente Lula já proferiu sua aversão em uma gravação, no qual aparece comentando que Pelotas seria “exportadora de veados”.

Se até mesmo o presidente da Republica se compactua com essa campanha discriminatória, o povo gaúcho se encontra só, podendo contar apenas com seus conterrâneos, que afinal é tudo precisam. Nós não necessitamos de um país que nos repudiam, chegara o dia em que toda população Rio-Grandense dará um basta apartando-se definitivamente do resto do Brasil. Depois de tudo isso, eu pergunto: Quem são os verdadeiros nazistas?

29 de maio de 2010

 

 

 

 

Pretória reafirma o seu apoio à independência saharaui
26 de maio de 2010

A África do Sul reafirmou, ontem, em Argel, o seu apoio à organização de um referendo de autodeterminação no Sahara Ocidental, disse a ministra das Relações Internacionais e da Cooperação, Maite Nkoana Mashabane.
“A África do Sul continua a apoiar o povo saharaui para o exercício do seu direito inalienável à autodeterminação de maneira livre, democrática e independente”, declarou Maite Nkoana Mashabane, na abertura da quinta sessão da Alta Comissão Bilateral de Cooperação entre a Argélia e a África do Sul.

A ministra sul-africana das Relações Internacionais lamentou que “o povo saharaui continue a luta pela autodeterminação no momento em que todos os africanos estão livres à excepção dos irmãos e irmãs do Sahara Ocidental”. Maite Mashabane lamentou também que “a ocupação marroquina obrigue o povo saharaui a viver em condições deploráveis”.

“Vemos com preocupação a violação flagrante dos direitos humanos nos territórios saharauis ocupados”, referiu.

A ministra sul-africana exortou o secretário-geral da ONU, Ban Ki Moon, a levar o Conselho de Segurança a “alargar o mandato da Missão das Nações Unidas para a Organização de um Referendo no Sahara Ocidental (MINURSO) de controlo e vigilância dos direitos do homem nos territórios saharauis ocupados”.
A MINURSO foi criada, em 1991, para vigiar o cessar-fogo entre a Frente Polisário e Marrocos e realizar um plano de referendo de autodeterminação.

Nkoana Mashabane deplorou que Marrocos continue a extrair recursos naturais do Sahara Ocidental, designadamente fosfato, “no momento em que decorrem negociações”.
O Sahara Ocidental, antiga colónia espanhola, foi anexado, em 1975, por Marrocos.

Fonte: Jornal de Angola, 26 de maio de 2010

 

 

 

Banda de Rock Dr. Martins interpreta a música PAMPA LIVRE
25 de maio de 2010

A Banda Dr. Martins, de Porto Alegre, compôs e interpreta a excelente música "Pampa Livre". Em ritmo de rock heavy metal, a música traz uma bela mensagem alusiva ao direito de liberdade da República Rio-Grandense e do Povo Gaúcho e é apenas uma das diversas composições do Grupo.

Trata-se de mais uma iniciativa de respeito em prol da Nossa Liberdade, que merece ser aplaudida e seguida.

Prestigie os shows da Banda Dr. Martins, visite a comunidade Dr. Martins no Orkut e faça o download da música PAMPA LIVRE em MP3: parte 1 parte 2. É grátis pra ti, patriota Rio-Grandense.
(Pode ser copiada e distribuída livremente desde que mantidos os créditos aos autores e link para o web site da Banda Dr. Martins)

 

Pampa Livre (Dr. Martins)

vem surgindo a aurora
o prenuncio da liberdade
marcando a suor e sangue
declarando nossa vontade

nossa terra vive oprimida
pelos mandos centralizados
de gente que vem de fora
e invade o nosso pago


    2x
    em nossas veias ainda ferve
    o sangue dos antepassados
    uma história de bravura
    o levante dos farrapos


queremos o pampa livre
nossas vidas por este chão
tudo que é nosso direito
nossa auto-determinação

nossa terra vive oprimida
pelos mandos centralizados
de gente que vem de fora
e invade o nosso pago

    2x
    em nossas veias ainda ferve
    o sangue dos antepassados
    uma história de bravura
    o levante dos farrapos

     

Download gratuito da música:
parte 1 parte 2

 

 

 

Enclave separatista armênio realiza eleições parlamentares
23 de maio de 2010

O enclave separatista armênio em território azerbaijano Nagorno-Karabakh realiza hoje eleições para escolher seu novo Parlamento, pleito que as autoridades do Azerbaijão declararam ilegais e carentes de toda consequência jurídica.

"A realização de eleições em zonas de ações bélicas ou em territórios ocupados se contradizem com as normas do direito internacional", disse à Agência Efe o porta-voz da Comissão Eleitoral Central (CEC) do Azerbaijão, Natiq Mamedov.

Segundo o porta-voz, a realização de eleições em Karabakh é um "ardil para justificar e legitimar a ocupação (armênia) dos territórios azerbaijanos".

O Parlamento da autoproclamada república de Nagorno-Karabakh conta com 33 cadeiras, dos quais 17 são dirimidos por listas de partidos, e os 16 restantes, em circunscrições majoritárias. De acordo com os dados oferecidos pelas autoridades do enclave, quase 95 mil pessoas, cerca de 66% da população, estão convocadas às urnas.

A Comissão Eleitoral de Karabah informou que os resultados preliminares do pleito serão conhecidos em um prazo de 48 horas.

A disputa azerbaijano-armênia se remonta aos tempos da antiga União Soviética, quando o enclave pediu sua incorporação à vizinha Armênia, o que desembocou em uma guerra entre armênios e azerbaijanos de 1991 a 1994.O conflito armado, a primeira guerra entre duas antigas repúblicas soviéticas, concluiu com a expulsão dos azerbaijanos de Nagorno-Karabakh e a ocupação de uma vasta zona do Azerbaijão, o que permitiu aos armênios unir o enclave à Armênia.

Em janeiro passado, no balneário russo de Sochi, os líderes do Azerbaijão, Ilham Aliyev, e Armênia, Serge Sargsian, acertaram elaborar suas respectivas propostas para um documento que estabeleça os princípios de regra do litígio.

Desde o estabelecimento do cessar-fogo, em 1994, não foram alcançados avanços significativos na regra do conflito.

O Azerbaijão exige a retirada incondicional das tropas armênias, que seriam substituídas por forças de pacificação, para conceder uma ampla autonomia a Karabakh, enquanto a Armênia defende o direito à autodeterminação do território, embora vincule seu status definitivo à realização de um plebiscito.

As autoridades de Baku ameaçaram de maneira reiterada com usar a força militar para libertar os territórios azerbaijanos se não prosperarem os esforços diplomáticos para pôr fim à ocupação de Nagorno-Karabakh e das regiões contíguas.

"Os diplomatas não foram capazes em 15 anos de alcançar resultados concretos em relação a este conflito. Azerbaijão não pode esperar outros 15 anos", afirmou recentemente o ministro da Defesa azerbaijano, Safar Abiev.

E, para despejar toda dúvida, acrescentou: "Se a Armênia não cessar a ocupação de nossas terras, será inevitável uma grande guerra no Cáucaso sul".

No final de 2009, a Armênia advertiu que reconheceria a independência de Karabakh se o Azerbaijão recorresse às armas para tentar recuperar esses territórios.

Fonte: Terra

 

 

 

Brasileiros terão de trabalhar até o dia 28 para pagar impostos
22 de maio de 2010
 

Os brasileiros terão de trabalhar até a sexta-feira da próxima semana, dia 28 deste mês, apenas para cumprir suas obrigações tributárias com os fiscos federal, estaduais e municipais. Serão 148 dias de trabalho no ano, um dia a mais do que os trabalhados em 2009 e o mesmo número de 2008. Leia mais...

 

 

 

Governo brasileiro aprova o uso de "nomes de guerra" para funcionários públicos travestis
Medida vale para servidores públicos. Órgãos têm 90 dias para se adaptar
 

Agência Brasil | 19/05/2010 10:29
 
Os servidores públicos federais travestis ou transexuais poderão usar o nome de guerra (como preferem ser chamados) em cadastros dos órgãos em que trabalham e até nos crachás de identificação.A substituição do nome oficial será autorizada para o cadastro de dados e informações pessoais, nas comunicações internas, no endereço de e-mail do servidor, na lista de ramais do órgão e nos crachás. A regra está prevista em portaria do Ministério do Planejamento publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial União.No caso dos crachás, o nome de guerra aparecerá na frente, mas o nome civil deve constar no verso da identificação. De acordo com a portaria, os órgãos terão 90 dias para se adaptar à nova regra.Na última semana, o Ministério das Relações Exteriores passou a conceder passaportes diplomáticos ou oficiais para companheiros de servidores homossexuais que trabalham nas representações do Brasil no exterior.

 

 

 

 

Lando Ganz propõe idéias para estruturação do Movimento em Comitês

Comitês Sulistas
Por Lando Ganz

Antes de semearmos as idéias separatistas se é necessário preparar o solo para esta finalidade. Como sabemos diariamente o povo gaúcho é vitima do monopólio do poder centralizado da União, que acaba por sua vez ferindo a atual Constituição de 1988 que determina que são autônomos os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, no entanto não é exatamente o que ocorre na pratica, afinal aqueles que regulam o Sistema Tributário Nacional acabam neutralizando este dispositivo constitucional.

Por este motivo temos nossa autonomia violada, sendo a única saída cabível a efetivação de um plebiscito que visa à restauração de nossa independência em um processo legal de emancipação, mas voltando a Constituição, em seu primeiro artigo está impresso que a Republica Federativa do Brasil é ‘’formada pela união indissolúvel dos Estados, Municípios e do Distrito Federal’’, embora que isso signifique que o plebiscito seja inconstitucional, o que deve prevalecer é a vontade popular, pois o povo é soberano, sendo ele então inquestionável e não será uma Constituição que o contestara. Pois o que é um documento comparado ao desejo da maioria? Entretanto a União ostenta em resistir, fazendo o impossível para nos restringir em nossa luta, demonstrando autoridade, embora que a autoridade não seja este grupo seleto de cidadãos eleitos por vias democráticas, a autoridade somos nós, a autoridade é o povo e nós não elegemos autoridades, nós elegemos representantes, sendo eles meros funcionários do povo, que por esta razão devem servir exclusivamente a este mesmo povo, atendendo de imediato as vontades da população, mesmo que tais reinvidicações sejam enquadradas como ações inconstitucionais, pois negar a vontade da maioria é uma afronta a democracia.

Se o Estado brasileiro não cede o direito do povo gaúcho de ter sua independência, a solução seria deslegitimá-lo, para isso devemos estruturar organizações políticas paralelas ao Estado, no qual possa inicialmente suprir as necessidades administrativas nos respectivos municípios ali difundidos, afinal se a própria população remediar as responsabilidades políticas cabíveis ao Estado, que por falta de compromisso não exerce o seu papel, conseqüentemente provara que não há necessidade de manter-lo sendo assim nada mais nos prenderia a Federação, e nesse ponto estaremos nos encaminhando em um processo de independência transferindo toda a legitimidade para estas organizações políticas alternativas.

Muitos defendem a tese de que devemos inicialmente nos dedicar ao processo de emancipação por via de um plebiscito e só assim posteriormente se dedicar a estruturação das instituições políticas, porém podemos inverter as etapas e chegar ao mesmo resultado, já que o plebiscito está sujeito a não se consolidar devido interesse da Federação em se manter o controle político na região, caso aja intervencionismo por parte da União, proponho a criação de Conselhos administrativos, denominados de Comitês Sulistas, sendo eles a única instância capaz de responder as demandas não atendidas devido vácuo administrativo deixado devida ausência do poder publico. Estes Comitês Sulistas são mais do que meros consolos políticos, são estruturas comunitárias que buscam ser uma alternativa para corrigir as irregularidades que se conglomeram por todo o Pampa, se o Governo Federal se mostrou inapto, cabe ao povo escolher outras medidas cabíveis para a solução destes problemas.

A estrutura básica dos Comitês Sulistas se assemelha aos sindicatos, por ambos consistirem em uma agremiação fundada para a defesa comum dos interesses de seus aderentes, o que difee do tradicional sindicalismo é que além de servir como porta-voz da população gaúcha para reinvidicações, busca também de forma autônoma corrigir as mazelas causadas pelo descaso do poder publico. Desta forma o Comitê Sulista age como uma divisão administrativa alternativa onde desempenha um papel político que antes se restringia apenas aos cidadãos eleitos, no caso dos Comitês Sulistas, serão constituídos por um Conselho formado por representantes de suas respectivas categorias profissionais, que a partir de assembléias buscam formas de obter o bem comum para todas as categorias e conseqüentemente de todo o povo gaúcho. Ficara sujeito os membros e dirigentes o pagamento de um tributo, cujo valor será revertido em melhorias das condições dos municípios. Tendo como prioridade a transparência nos recursos, assegurando a integridade do Comitê. O valor coletado ficara sobre a supervisão da Tesouraria, cujos tesoureiros serão selecionados por uma votação do Conselho. Os Comitês serão dirigidos por secretários-gerais, cuja tarefa consiste em coordenar as assembléias do Conselho.

Sendo o Comitê Sulista um instrumento organizado de reinvidicações, que possui como membros do Conselho representantes das categorias profissionais, garantira melhor desempenho em greves e manifestações de diversos setores, em ações conjuntas que surtira em grande efeito, ficando o Estado acuado, sendo pressionado a cumprir as nossas reivindicações. Os Comitês Sulistas legislarão conforme a necessidade das categorias representadas pelo Conselho, determinando normas provisórias, sem que tenhamos que nos submeter à burocracia federal ao apresentar projetos de lei para serem votados no Congresso, o que se demonstrou até hoje ser um processo lento e sem retorno.

Ressalto a relevância dos Comitês Sulistas em meio ao processo de emancipação, pois se é necessário uma estrutura política neste procedimento de transição de um estado-membro federativo para uma Republica independente, pois a carência de organização administrativa retardaria a consolidação de um novo país, afinal sem isso permaneceríamos subordinados ao Estado brasileiro, no entanto com a possibilidade de autonomia a partir do consentimento da população, que por sua vez legitima a esta pratica alternativa de governo, originara numa ruptura do intervencionismo da União, por se tornar obsoleta perante a opinião publica prevalecendo a licitude dos Comitês. Após obtivermos êxito com a emancipação, os Comitês serão desmantelados para a estruturação de instituições políticas convencionais, a criação de partidos que condizem com o pensamento ideológico de seus fundadores e a implantação de um sistema parlamentarista.

17 de maio de 2010

 

 

Brasil fabricou bombas que o governo do Sri Lanka usou em massacre condenado pela ONU
Bombas brasileiras abastecem quase metade das nações com conflitos étnicos e religiosos
10 de maio de 2010 


Solano Nascimento
Especial para o Correio


No fim de 2008 e no primeiro semestre do ano passado, as Forças Armadas do Sri Lanka realizaram a ofensiva final e mais sangrenta contra os separatistas tâmeis do Norte do país, produzindo o que organizações internacionais consideraram uma das maiores crises humanitárias de 2009. Por conta do ataque, o governo do Sri Lanka foi acusado pela Organização das Nações Unidas (ONU) de cometer crime de guerra e violar direitos humanos. “Os aviões chegavam jogando bombas, e nós corríamos para os abrigos”, conta Karmenkam Thaviththra, uma adolescente franzina e tímida, de 14 anos, que morava em Kilinochchi, cidade semidestruída pelos bombardeios, e hoje vive em um acampamento para refugiados. “A gente caminhava entre os corpos, alguns sem mãos, outros sem cabeça.” O Brasil contribuiu para a tragédia.


Em janeiro do ano passado, 116 toneladas de bombas brasileiras foram vendidas para a Força Aérea do Sri Lanka. Feitas em aço forjado, carregadas de explosivos e com peso variando de pouco mais de 100kg até uma tonelada, essas bombas têm o poder de destruição ampliado pela presença de duas espoletas, o que garante duas explosões. Cruzamento feito pelo Correio entre dados oficiais das exportações e mapas mundiais de conflitos étnicos e religiosos mostra que a venda não foi uma exceção. Nos últimos 10 anos, o Brasil exportou, por U$ 17,8 milhões, um total de 777 toneladas de bombas, foguetes, mísseis e outros tipos de munição para países nos quais esses embates armados já mataram 1,3 milhão de pessoas.

Das 18 nações que no ano passado registraram os conflitos, sete são abastecidas por empresas brasileiras, que precisam de autorização do governo para fazer essas exportações. Questionado pela reportagem sobre o destino das bombas compradas do Brasil — no seu escritório num quartel de Colombo, capital do país —, o porta-voz das Forças Armadas do Sri Lanka é claro. “Não foi somente do Brasil, mas também de outros países que nos proveram com equipamentos, bombas”, diz o brigadeiro Udaya Nanayakkara. “Nós usamos contra os terroristas.”

Lados sanguinários
O conflito no Sri Lanka opôs o governo, representante dos interesses da maioria cingalesa — que equivale a 74% da população, majoritariamente budista —, e o grupo Tigres de Libertação do Tâmil Eelan (LTTE, na sigla em inglês), que defendia a criação de um estado autônomo no Norte do país para abrigar os 18% de tâmeis, quase todos hinduístas. A violência entre os dois grupos se agravou a partir de 1983, quando o LTTE emboscou e massacrou 13 soldados cingaleses, em Jaffna, no Norte. Como resposta, cingaleses do Sul saíram às ruas incendiando casas e assassinando centenas de tâmeis.

Os anos que se seguiram foram marcados por breves temporadas de cessar-fogo e longos períodos de enfrentamentos. Os dois lados usaram sequestros, torturas, execuções, desaparecimentos e perseguições como táticas de guerra. Corpos eram incinerados, jogados ao mar ou esquartejados em praça pública, para servirem como exemplo. Estima-se que entre 80 e 100 mil pessoas morreram por causa do embate. No livro Bandeiras Pálidas (Companhia das Letras), um romance baseado em fatos reais, o escritor Michael Ondaatje, nascido no Sri Lanka, escreveu: “A única esperança era que as partes em conflito terminassem por se destruir mutuamente”.

Não foi o que ocorreu. No fim de 2008, as Forças Armadas avançaram sobre cidades e vilarejos que eram total ou parcialmente controlados pelos separatistas. O governo ignorou apelos de países da Europa e de organismos internacionais por um cessar-fogo e no final de maio de 2009 anunciou a derrota do LTTE. Nesse momento, 250 mil pessoas estavam confinadas em campos de refugiados. O número equivale a 1,2% da população. É como se, no Brasil, todos os moradores do Acre, de Rondônia e de Roraima virassem refugiados. O porta-voz dos militares afirma que o governo fez questão de não causar vítimas civis na ofensiva. “Quando sabíamos que em alguma área havia civis, suspendíamos o fogo para eles saírem”, diz Nanayakkara. Não é o que indica uma incursão pelo Norte do país, mesmo meses depois do fim do conflito.

A cidade de Vavuniya, uma espécie de portal da região, permanece intocada, mas seus acessos são vigiados por centenas de soldados, a maioria deles protegidos por trincheiras. Ao seguir pela rodovia A-9, que corta o Norte do país, chega-se primeiro a uma barreira militar que exige autorização escrita de passagem, fornecida pelas Forças Armadas em Colombo. Cerca de 40km depois da barreira, começam a ser vistos os sinais dos bombardeios. Uma das raras igrejas cristãs da região perdeu o teto, casas tiveram aberturas e paredes destruídas nos ataques, muros foram derrubados.

Hospitais atingidos
É, no entanto, em Kilinochchi que aparecem as grandes marcas da ofensiva do governo. A cidade fica no meio do caminho entre Vavuniya e Jaffna, que no auge do movimento separatista chegou a funcionar como capital do estado autônomo. Cerca de 80% de todas as edificações de Kilinochchi mostram algum sinal dos bombardeios, e metade das moradias atingidas foi danificada a ponto de não poder mais ser habitada. Pequenos edifícios de dois andares ficaram sem a parte superior, e a caixa d’água da cidade foi derrubada e inutilizada. A cidade segue sob ocupação de militares, que tentam impedir visitantes de fotografarem os prédios destruídos.

O Hospital Geral de Kilinochchi improvisou instalações em uma escola de Ydayarkaddu para tratar dos feridos no confronto. As instalações foram bombardeadas no começo do ano passado. “Não deu tempo de tirar os doentes, e uns 50 morreram”, conta um morador da região, implorando, quase chorando, para não ser identificado, pois viu conhecidos sofrerem represálias por dar informações incômodas ao governo. O bombardeio matou também uma enfermeira e dois auxiliares. Pelo menos outros dois hospitais foram atacados na região, com dezenas de vítimas.

O nordeste do país, onde, como no norte, há predominância de tâmeis, também foi alvo da ofensiva. Nadrasa Sajithan, 14 anos, morador de Mullaithivu, aprendeu com traumas que tinha de se esconder durante os bombardeios. “Dois tios meus saíram do abrigo para ver a casa e a plantação de coco, e as bombas caíram sobre eles”, relata o adolescente.

A exemplo do governo, criticado por matar inocentes que não pertenciam ao grupo separatista, o LTTE também foi acusado pela Anistia Internacional, Human Rights Watch e ONU de crimes de guerra por usar moradores como escudos humanos. A ONU estima que mais de 7 mil civis tâmeis foram mortos na investida das Forças Armadas do Sri Lanka. Em um acampamento de refugiados nos arredores de Vavuniya, as irmãs Thamapalm Pushparani, Basaran Selvarani e Geeva Vijayarani contam que perderam os maridos e uma cunhada nos bombardeios. “A vida está difícil”, diz Pushparani. As três vendem farinha para alimentar os sete órfãos que as bombas produziram na família.

Silvas, pimenta e instabilidade


O Sri Lanka é um país tropical em forma de lágrima, quase encostado no extremo sul da Índia. De motoristas de táxis a escritores, muitos lá têm o sobrenome Silva, herança dos portugueses que chegaram em 1505, poucos anos depois de desembarcarem no Brasil, e saíram no século seguinte, sendo substituídos por holandeses e ingleses.

Só em 1948 o pequeno país — a área é pouco maior que a da Paraíba, mas a população equivale à de Minas Gerais — tornou-se independente e trocou o nome de Ceilão por Sri Lanka. Foi quando começaram a aparecer os problemas étnicos entre os povos tâmil e cingalês, ambos com línguas próprias e originários de partes distintas da Índia. Acusados de terem sido favorecidos pelos ingleses, tâmeis passaram a ser preteridos em empregos e vagas em instituições de ensino. Cingaleses afirmavam estar revertendo injustiças.

O movimento pela criação de um estado autônomo para os tâmeis começou nos anos 1970, mas a violência eclodiu na década seguinte. Em 2002, o governo de George Bush classificou o movimento como organização terrorista.

A guerrilha foi declarada extinta pelas Forças Armadas em maio do ano passado, mas isso não significa que o Sri Lanka seja um país estável. Ruas de Colombo, a capital, têm barricadas e há áreas do Norte onde só se entra com autorização das Forças Armadas. Cerca de 80 mil pessoas ainda vivem nos campos de refugiados. O presidente Mahinda Rajapaska foi reeleito em janeiro e, logo em seguida, prendeu seu opositor e dissolveu o Parlamento. O povo que assiste a isso tudo é pobre, gentil e adora comida apimentada. (SN)


Em Londres, mãe e filha pintam suas caras em
apoio ao Movimento separatista Tigres de Tamil

Fonte: Correio Braziliense, 10/05/2010

 

 

 

 

 

Polícia brasileira do pensamento ataca novamente
06 de maio de 2010

Em 2002 o filme Minority Report relatava uma realidade surrealista, onde as pessoas eram perseguidas e presas simplesmente por terem pensado em cometer algum crime. Um trio de videntes identificava o criminoso do pensamento que era rapidamente encarcerado.

O Brasil está transformando o surrealismo e ficção de Minority Report em realidade. Há cerca de 15 anos a Rede Globo começou a ensinar pedofilia aos brasileiros, que até então desconheciam até mesmo o significado desta palavra. De forma lenta e progressiva a TV brasileira expôs, atraiu os olhares e ensinou pedofilia. Agora a "pedofilia do pensamento" foi transformada em mais um método de opressão contra a sociedade, onde pessoas que simplesmente pensam no assunto, e decidem comentar a respeito, são objeto de perseguição da Polícia Federal do Pensamento, considerada uma das instituições policiais mais corruptas do mundo, a mesma que desarma as pessoas honestas para que as mesmas não possam se defender dos criminosos (outro surrealismo brasileiro).

O cabalístico número de 33 mil usuários do Orkut sendo perseguidos está aí para ser compreendido por aqueles que tiverem sabedoria.

Polícia Federal deve pedir quebra de sigilo de usuários do Orkut

Brasília (O Repórter*) - O cerco contra o uso e troca de material contendo pornografia infantil pela internet deve aumentar com a aceleração das investigações pela Polícia Federal relativas a 33 mil denúncias que envolvem usuários do Orkut, rede social do Google, que colaborou na coleta inicial das informações. Depois de participar de reunião de grupo de trabalho da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia, nesta quarta-feira (5), o delegado da Polícia Federal Marcelo Fernando Borscio adiantou que, dentro de 45 dias, devem ser entregues à comissão os pedidos de quebra de sigilo dos dados cadastrais dos usuários relacionados com os delitos.

"A celeridade na quebra dos sigilos é essencial para o sucesso das investigações", assinalou o presidente da CPI, senador Magno Malta (PR-ES). Ele disse confiar na colaboração das empresas de telecomunicação que prestam serviços de acesso à internet. Antes da CPI, como afirmou, havia obstáculos e muita demora na entrega dos dados requisitados. No entanto, ele disse que a "lógica mudou e para melhor".

Fonte: O Repórter - 05.05.2010

 

 

 

 

PROTETOR DE TELA PAMPALIVRE
02 de maio de 2010


O Protetor de tela do Pampa Livre agora está disponível em 3 temas: Pampa Livre, Grêmio e Internacional e para sistemas operacionais Windows XP, Vista e 7. Inclui mecanismo de desinstalação.
Faça download, é grátis!

     
 
 
 
 
 
 
IANOBLEFE - O JORNALISMO COMO FICÇÃO
Livro de
Janer Cristaldo 

Livro onde o autor demonstra que o Brasil já está dividido em diversos territórios.

Disponível para download na nossa Biblioteca

 

 

 

 

 
Espanha - Catalunha: Referendo simbólico
Maioria esmagadora vota a favor da independência
26 de abril de 2010

A maioria esmagadora dos catalães (92,16 por cento) votou domingo a favor da independência da Catalunha, numa consulta popular simbólica marcada pela diminuição da participação, quando comparado com anteriores referendos, notícia hoje a imprensa catalã e espanhola.

Mais de 92 por cento à favor e 5,34 por cento contra: este foi o resultado do terceiro referendo simbólico sobre a independência da Catalunha, realizada em 221 municípios da região separatista e organizado por associações civis pró-independência.

"É a favor de que a Catalunha seja um Estado soberano, democrático e social, integrado na União Europeia?" foi a pergunta que os catalães consultados foram convidados a responder no domingo. Leia mais...

 

 

 

 

Brasil paga dez vezes mais por banda larga do que países desenvolvidos
26 de abril de 2010

O Brasil paga dez vezes mais por acesso à conexão banda larga do que países desenvolvidos, segundo um estudo divulgado nesta segunda-feira pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), em Brasília. Leia mais...

 

 

 

 

Gabriela, 3 anos, canta o Hino Rio-Grandense

 

 

 

 

 

 


O melhor amigo do homem honrando nossas tradições

 

 

 

 

Carlos Schneider Dinheiro Público

Como em todos os tempos da história da humanidade o homem continua a dominar o homem pelo mecanismo da força do poder. No Brasil os escravizados, vivem a instabilidade institucional a partir do momento em que os dirigentes políticos, declaram desobediência à ordem legal do país.

Podemos bem comparar isto a um pastor de rebanhos que é de natureza superior à de seu rebanho. Adão, segundo o livro de Genesis, foi o primeiro homem criado por Deus e este para seu povo foi o próprio Rei. A partir daí nascem os escravos do poder traduzidos em seus súditos. Aristóteles, filósofo de todos os tempos estava coberto de razão em sua lógica do pensamento quando afirma que todo homem nascido na escravidão nasce para ser escravo, pois estes tudo perdem com suas algemas, inclusive o desejo de se livrarem delas.

O Presidente da República do Brasil, inexoravelmente nascido na escravidão como súdito, sua velada meta é a de dominar a plebe por meio das algemas da servidão. Zomba do Direito, do Poder Judiciário quando da aplicação de penalidades por mau comportamento como Presidente.

Bom que se diga que nada é novidade. Súditos governados ao sabor de absurdas estatísticas com sabor de antigas práticas de abusos do poder, Governos anteriores também exorbitaram da civilidade. Exemplo são Fernando Henrique Cardoso do PSDB, José Sarney PMDB, Itamar Franco PMDB, Collor de Mello PRN personagens forjados na escola aristocrática medieval a qual o atual presidente, inexoravelmente frequentou.

Escancara sua vontade aos quadrantes, através da imprensa brasileira, de que irá seguir com a farra da gastança até o final de seu governo. Por outro lado, a Ministra Chefe da Casa Civil, trata seguir os ensinamentos de Filon, o imperador Calígula, filho adotivo de Tibério, terceiro imperador de Roma no século 12 a 41 d.c. que protagonizou um trágico e louco reinado, banhado de desgraças.

O dinheiro público a ser utilizado pelo poder em obras públicas é de soberba insanidade nos moldes proposto. Sim é dinheiro do contribuinte e dele foi subtraído na forma de pesados tributos, a financiar além de duvidosas obras, também a farra de viagens internacionais, cartões corporativos, campanhas eleitorais, fatores que contribuem no aumento da dívida pública interna para além de 1 trilhão de reais. Dominação do homem pelo homem com o poder do dinheiro.

Um presidente que também coleciona o título de maior turista do país. Não há razão para entrar no mérito de seus constantes desembarques em Estados estrangeiros. Fato é que suas viagens desprovidas de resultados comparadas ao custo/benefício estão acompanhadas de uma legião de parasitas financiados pela fácil e cômoda arrecadação tributária.

Os gastos da presidência da república, somente nos dois primeiros meses de 2010 pularam para 1,47 milhão de reais comparado ao mesmo período de 2009, que foi de R$ 565 mil. O que ainda é muito estranho que em 2010 os gastos da candidata Dilma Rousseff ainda não constam no Portal Transparência do governo Federal. Ainda há quem diga que o Brasil é país de todos. O país é de poucos porque sabem os governantes o povo que governam.

A Governadora paulistana, eleita no Estado pelo PSDB, segue a escola da autopromoção. Desfila pela mídia compromissada, firmando tratados, contratos, formulando propostas já em plena campanha eleitoral de 2010 sem ser importunada. Aqui ou lá, a escola é a mesma de há muitos anos. Bom que se diga que nem Lula, nem Yeda financiam obras públicas. Quem financia as obras públicas é o dinheiro do erário público arrecadado pelo tesouro do Estado em forma de tributos. O resto é conversa fiada. Não tem lei neste país que faça os dirigentes políticos se adequarem às normas de comportamento. Algemaram a soberania do povo que não consegue mais se desvencilhar das amarras do clientelismo e do corporativismo medieval.


Fonte:
Blog do Carlos Schneider, quinta-feira, 30 de março de 2010

 

 

 

 

 

Sahara Ocidental - Direitos versus Poder
14 de abril de 2010

A situação do povo saharui é dramática.

Os refugiados nos acampamentos vivem da ajuda internacional que é cada vez mais deficiente e a economia é zero. As condições são precárias devido ao clima e à ausência de infra-estruturas; não têm água, energia eléctrica, nem saneamento básico.

Os que vivem nos territórios ocupados por Marrocos são discriminados, perseguidos, sequestrados, sujeitos a prisões arbitrárias e torturas.

O Reino de Marrocos que não se notabiliza por práticas democráticas para com o seu próprio povo, trata os saharauis que vivem nos territórios ocupados como pessoas sem direitos.

Os relatórios da Amnistia Internacional, da Human Rights Watch e de outras organizações de defesa dos Direitos Humanos, sistematicamente acusam o Reino de Marrocos de violações sobre os cidadãos saharauis.

Mas a violação primeira, a que dá azo à repressão, é a ocupação ilegal do território da RASD.

Conjugando a Carta das Nações Unidas (preâmbulo, Artigos 1, 46, 55, 73, 76) com as Resoluções da ONU (processo que começa em 1964) e com a decisão de 1975 do Tribunal Internacional de Justiça, assim como os Pareceres Jurídicos da ONU (Relatório Corell) e do Gab. Jurídico da EU, torna-se inequívoco que a ocupação do território da RASD é ilegal e que, por outro lado, a exigência do povo saharaui a um referendo que determine a sua vontade está de acordo com o Direito Internacional.

Os saharauis são historicamente, etnicamente e culturalmente independentes dos marroquinos. A língua é própria, os hábitos são diferentes.

Lutaram contra Espanha pela sua independência, lutam agora contra Marrocos pelo mesmo motivo. Sob os auspícios da ONU suspenderam a luta armada, esperando uma solução que passe pelo cumprimento das Resoluções das Nações Unidas. Entretanto, nos territórios, ocupados sequestram, prendem e torturam os activistas pacíficos saharauis.

O Rei de Marrocos sabe que está contra o Direito Internacional, sabe que a sua pretensão contraria a deliberação de muitos Estados, sabe que não vai quebrar a indomável vontade daquele povo que há mais de 50 anos, e agora nas mais adversas circunstâncias, não desiste do legítimo direito a ser livre na sua pátria.

Tem que fazer qualquer coisa. A “autonomia” proposta por Marrocos é fazer qualquer coisa para ficar tudo na mesma, mas a proposta contem em si o reconhecimento da sua não razão.

O território da RASD é rico em fosfatos (o depósito de Bu-Craa é o maior do mundo), tem minerais e combustíveis fosseis. A sua costa é dos melhores pesqueiros do mundo e também tem petróleo.

É nestas riquezas que reside “a razão” e o poder de Marrocos.

O Acordo de Pescas EU/Marrocos, os contratos para prospecção de petróleo, as exportações de fosfatos, têm sido moeda de troca para não se impor o cumprimento das Resoluções da ONU.

A isto se junta a compra de armamento à França (pura coincidência apoiar o projecto marroquino!) e agora, como a cereja no bolo, a oferta, pelo rei, para instalação do AFRICOM.

Para além das violações, repressão, prisões e assassinato de saharauis, Marrocos oferece-se para pôr em causa a segurança e a liberdade de África, nomeadamente do Magrebe.

O fim das violações dos direitos humanos sobre saharauis nos territórios ocupados (nesta data há 36 presos em greve de fome como protesto pela arbitrariedade das suas detenções), o direito dos refugiados voltarem à sua pátria livre e independente, a paz na região só é possível quando o Povo Saharaui tiver direito à autodeterminação.

A solidariedade com o povo e a causa saharaui é um imperativo moral, mas é também defendermos um mundo de Direito, mais livre e mais justo.

O Conselho Português para a Paz e Cooperação apela

- às portuguesas e portugueses que participem nas acções de denuncia das violações praticadas sobre o povo saharaui,
- às organizações de Direitos Humanos e de Solidariedade que desenvolvam iniciativas tendentes ao respeito pelos legítimos interesses daquele povo exige
- ao Governo Português que é membro da Organização das Nações Unidas e integra a União Europeia que faça valer os direitos que daí advém, defendendo o cumprimento do Direito Internacional e a Justiça para o Povo Saharaui
exige
- ao Reino de Marrocos a libertação imediata dos presos políticos
- o cumprimento da Carta das Nações Unidas e das Resoluções sobre a questão do Sahara Ocidental

Fonte

 

 

 

 

Lula diz a Tarso para trocar o chimarrão por uísque e cachaça
12 de abril de 2010

Em vídeo para parabenizar o ex-ministro da Justiça Tarso Genro por seus 63 anos, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recomendou ao pré-candidato do PT ao governo gaúcho que troque o chimarrão por uísque "de qualidade".

"O Tarso é um baita de um companheiro, mas é um companheiro polêmico. Em vez de chimarrão, Tarso, tome um belo de um uísque de qualidade, tome uma cachaça de qualidade, tome uma caipirinha", disse Lula na mensagem.

O vídeo, com pouco mais de três minutos, foi exibido na noite de sábado em Porto Alegre, em jantar de comemoração do aniversário do petista. A festa reuniu cerca de mil militantes no Sport Club Internacional, que pagaram entre R$ 20 e R$ 500 pelo ingresso.

No vídeo, Lula também fez piada com a qualidade do churrasco do Rio Grande do Sul, dizendo que iria ao Estado durante a campanha ensinar aos petistas gaúchos como se faz um assado.

"Agradeço as palavras do presidente", disse Tarso ao se pronunciar na festa, que teve a presença de quatro ministros --entre eles Dilma Rousseff (Casa Civil), pré-candidata do PT à Presidência.

Além da mensagem de Lula, foi exibida uma cinebiografia de dez minutos do ex-ministro da Justiça. Segundo a organização do evento, o filme foi encomendado e pago pelo PT estadual.

Dilma chegou à festa por volta das 21h30. Disse que não vai se constranger se precisar subir em dois palanques no Estado --caso o prefeito de Porto Alegre, José Fogaça (PMDB) também seja candidato ao governo estadual.

"Mas essa é uma possibilidade que ainda precisamos ver. O candidato [Fogaça] não se manifestou de forma clara se quer o nosso apoio", afirmou Dilma Rousseff.

Fonte: Folha, 22/03/2010

 

 

 

 

Ser dos Pampas
POR QUÊ O POVO GAÚCHO SE DESTACA DOS DEMAIS?!
O povo daqui se orgulha! Leia mais...


Brasão da República Rio-Grandense pintado na fachada de uma casa

 

 

 

Livro MANIFESTO GAÚCHO
Escrito por Evaldo Muñoz Braz

“Muita gente anda no mundo sem saber para quê. Vivem porque vêem os outros viverem” dizia o velho vaqueano Blau Nunes de Simões Lopes Neto. Preocupado com os caminhos das novas gerações de riograndenses, Muñoz Braz faz uma pesquisa em fontes insuspeitas pois em suas palavras “estavam lá” sobre muitas das origens das qualidades atribuídas ao gaúcho histórico.

Opondo-se a corrente atual que prefere posar de imparcial, afetando cosmopolitismo, mas na verdade, como auto promoção ataca cegamente a figura antropológica do gaúcho como um todo, o autor defende a imagem do gaúcho como vital a manutenção de nossa identidade cultural contra a pasteurização globalizante.

Numa seleção de fontes históricas, o autor de forma atraente nos relembra que muitos dos epítetos do gaúcho não são criação de romancistas de maneira pré-elaborada, nos mostra a índole rebelde do gaúcho e entre outras que o processo de atração pela tradição gaúcha de comunidades ou diferentes etnias foi de forma natural.

Este pequeno livro nos ensina a ler nas entrelinhas e interpretar corretamente os antigos viajantes, em sua maioria cientistas, que por aqui passaram.

Como forma de resgate, síntese e estímulo a pesquisas, deve ser lido sem dúvida por políticos, comunicadores, estudantes, universitários, distanciados muitas vezes da cultura gaúcha e que de vez em quando se perguntam ao escutar uma música regional o que aquilo significa, e o que ele próprio significa ao afirmar que é gaúcho.

Disponível em PDF

 

 

 

 

MENSAGEM DE UM BRASILEIRO PARA OS GAÚCHOS

De:
IP:
Cidade:
Data:

Felipe <cronos.the.mith@gmail.com>
189.101.199.230
Florianópolis, Brasil
07 de abril de 2010

Quer ficar independente, ótimo criem a primeira república gay do mundo, nós brasileiros teremos prazer de mandar de volta essa gauchada que fica ocupando espaço nos outros estados, vai dar para fazer a tão sonhada reforma agrária e resolver o problema do país.

A mulherada que vcs não irão usar mesmo pode deixar aqui em Floripa.

Veja também:

 

 

 

 

PAMPA LIVRE CITADO PELO JORNAL COMUNICAÇÃO
06 de abril de 2010

Política | Publicada em 02/04/10 às 18h59

Movimentos separatistas alimentam sonho da independência dos estados

Grupos continuam atuantes e buscam a emancipação de suas regiões de forma pacífica

Reportagem Vinícius Branco
Edição Luiza Vaz
 

Aquecido nas últimas semanas em decorrência da disputa pelos royalties do petróleo no Rio de Janeiro, os ideais separatistas continuam atuantes no Brasil. Ao contrário do que ocorria no período regencial, hoje a luta é pacífica. Geralmente por meio de plebiscitos e com a ajuda de políticos, eles buscam a plena autonomia de suas regiões ou estados e consideram a emancipação necessária por razões tanto político-econômicas quanto culturais.

James Bitencourt Fioravanti, membro do movimento O Sul é Meu País - surgido no fim dos anos 80 e formalizado em 1993 - acredita que o movimento possui grande força potencial. “Possuímos apoio popular intenso. Nossa atuação se dá por meio da conscientização do povo”, argumenta. Já o professor e doutorando em história do Brasil pela UFPR, Luiz Adriano Gonçalves, considera fraca a inserção destes movimentos. “São organizações que têm certa adesão entre os vereadores e deputados, mas muito pouco conhecidos da população geral”, justifica.

Justificativas e reivindicações

O movimento O Sul é Meu País critica a unidade nacional e considera centralista a distribuição de recursos feita pelo governo. “O Sul é a segunda região que mais arrecada para a União e a penúltima a receber. Não tenho dúvidas de que um sul independente seria economicamente melhor”, afirma Fioravanti.

Outro movimento atuante é o Pampa Livre. Iniciado no início da década de 1980 e organizado em 1990, critica o centralismo governamental e acredita que os gaúchos sofrem opressão cultural. “Nós também atuamos no combate à campanha de ódio e extermínio cultural que o Brasil move contra os gaúchos e nossa cultura há mais de 20 anos”, afirma o Presidente do Conselho do Movimento Pampa Livre, Renato Mosquera.

Com ação no sudeste, o Movimento República de São Paulo (MRSP) – idealizado em 2001 e formalizado em 2004 - tem objetivos diferentes dos outros dois. “O MRSP tem por objetivo a mudança do atual Sistema Federativo, para Estados Confederados (confederação), trazendo a plena autonomia para o Estado de São Paulo”, afirma o presidente do MRSP, Paulo Roberto da Silva.

Os movimentos creem que a autonomia de suas regiões resultará em melhorias econômicas e culturais. O presidente do MRSP considera o modelo administrativo brasileiro centralizador. “É um neocolonialismo, altamente prejudicial aos seus habitantes, com altíssima tributação e poucos resultados. Só São Paulo, em 2009, perdeu cerca de quatro bilhões de reais para a União”. Mosquera também critica os processos divisórios do governo. “O Rio Grande do Sul, assim como a maioria dos estados brasileiros, é saqueado pelo governo centralista e escravocrata de Brasília. Independente, os cidadãos da República Rio-Grandense finalmente veriam seus impostos se transformarem e obras e infraestruturas imprescindíveis ao desenvolvimento e à melhoria da qualidade de vida”.

Legislação e possibilidades

A Legislação não deixa brechas para que algum Estado venha se separar. A Constituição Federal de 1988 estabelece em seu primeiro artigo: “A república Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal (…)”. Porém, tanto o Movimento Pampa Livre quanto O Sul é Meu País, estão apoiados nos princípios da Organização das Nações Unidas (ONU) de autodeterminação dos povos. “O Brasil assinou diversos tratados onde se compromete a respeitar e promover a autodeterminação dos povos”, afirma Renato Mosquera.

O professor de Ciências Políticas da UFPR Fabrício Ricardo Tomio, discorda. “O direito de autodeterminação não é relativo a uma separação. Isso é apenas a uma interpretação”.

Tomio não acredita que a separação de alguma região possa ser economicamente benéfica . “O mercado expandido não é um problema e sim solução. É bom que existam outras áreas que sustentem o mercado”, afirma. Gonçalves defende que isso seria tanto prejudicial para o país quanto à região que ocasionalmente viesse a se separar. “São Paulo é o detentor do maior parque industrial, sem o qual mesmo o Sul ficaria deficitário. O Sul, por outro lado, detém reservas naturais de energia que alimentam boa parte do Brasil”, explica.

Alem disso, o professor Luiz Adriano Gonçalves acredita que são pequenas as possibilidades de alguma região vir no futuro a constituir um Estado independente. “No Brasil, apesar da diversidade cultural clara, somos unidos pela língua e até por mentalidades semelhantes. Não acho que a cultura seja um fosso tão profundo que justifique a separaração das diversas regiões”.

Fonte: Jornal Comunicação, 04 ABR 2010

 

 

 

 

 

 

 

Imagens da República Rio-Grandense

 

 

 

 

Militares do Exército Brasileiro dançam funk e assumem homossexualismo

 

 

 

 

 

Payada - Jayme Caetano Braun

  

 

 

 

 

Um homem fora do tempo - Mano Lima

 

 

 

 

 

A maioria do povo brasileiro é virtualmente escrava
Por Lyndon LaRouche

O problema atual do Brasil é que o povo não tem consciência do caráter ilimitado da criatividade da pessoa humana. Lá se vê uma imensa classe pobre preguiçosa, sem criatividade, vagando sem destino, acreditando que é educada.

O carry trade parece um desfile de caixões. Eles te levam quando tudo acaba. Não se tem um propósito na vida. Ou seja, o brasileiro típico, composto pelos pobres, está condenado a ser, nada mais que um carregador, sem outro objetivo na vida que carregar as tralhas do patrão. A maioria da população do Brasil, é virtualmente escrava. Um país que manteve a escravidão negra até por volta de 1880.

Porém, alguns dizem que o Brasil é um grande país. Sim, é grande em tamanho, com algumas grandes riquezas, mas o tratamento dado ao povo não é invejável.

Repare as ruas do Rio de Janeiro. Olhe as ruas de suas principais cidades. O que se vê? Crianças – pequeninas – pelas ruas, com facas de todos os tamanhos e cacos de vidro, assaltando e matando. Crianças pequenas, em bandos como gafanhotos, rondando as ruas. Ninguém se atreve a sair na rua em determinadas áreas sem tomar algum tipo de cuidado ou proteção, mesmo no que eles chamam de “vizinhanças do hotel”. Ninguém ousa passar desses limites. É um pesadelo! Isso é país?

Qual é a causa? Essa situação provém de um grupo privilegiado, que, como tiranos sem criatividade, governa esmagando o povo, não o considerando humano, nem que sua humanidade reside na criatividade potencial que eles têm, pois se esta fosse desenvolvida, teriam uma existência humana infinita, num universo ilimitado.

O que se pode dizer a um povo desse tipo, que não tem tal consciência? Apenas que ele está corrompido. Essa é a questão. Estamos lidando com uma sociedade cujo povo não tem consciência dos direitos elementares inerentes à vida.

Lyndon LaRouche é um líder norte-americano.
Artigo publicado na EIR de 5 de março de 2010.

 

 

 

França concede asilo a irmão de Celso Daniel
26 de março de 2010

Apesar da gentileza aparente, pela venda bilionária de aviões-caça ao Brasil, é ruim a reputação do Brasil junto ao governo francês, que oficialmente concedeu asilo político a Bruno Daniel, irmão do prefeito assassinadode Santo André (SP) Celso Daniel, a sua mulher Marilena Nakano e três filhos. O governo Lula nunca se empenhou pelo esclarecimento do crime. Suspeita-se do envolvimento de petistas.

 

Suposto mandante da morte de Celso Daniel, Sérgio “Sombra” está solto. E oito testemunhas do crime já foram assassinadas.

Bruno Daniel já esteve refugiado na França entre março de 2006 e agosto de 2008, quando era vigiado por arapongas brasileiros.

A decisão francesa reconhece, nas entrelinhas, que no Brasil existe e é praticada a perseguição política.


Fonte: CH, 26 de março de 2010

 

 

 

No Orkut... Brasileiros boicotam os produtos gaúchos

 

 

 

 

Perfil sociológico dos militantes separatistas
22 de março de 2010

Pampa Livre publica o perfil sociológico dos militantes separatistas baseado em um estudo de 5 anos.

Foram avaliados 833 separatistas entre os anos de 2002 e 2007. Estatisticamente, o perfil identificado descreve o separatista com 83,6% de acurácia quando considerada a média menos um desvio padrão. Leia mais...

 

 

  

 


 

Jornal Caledonian Mercury da Escócia cita o Movimento Pampa Livre em reportagem

 

Oil fuels fires of separatism in Brazil

March 18, 2010 by Andrew McLeod

Brazil’s bustling state of São Paulo, which for decades has powered the country’s emergence as a world economic force, has always had its separatist dreamers.

Another permutation of Brazilian separatism might include the wealthy agricultural south breaking off into an independent Republic of the Pampas or linking up with São Paulo and perhaps Rio de Janeiro into a superstate.

Throw oil into the separatist equation, however, and all hell breaks loose with everyone’s aspirations.

Thousands of cariocas (residents of Rio) have marched against the Brazilian lower house of congress’s vote to divvy up oil revenue equally among the country’s 26 states and one federal district, which would strip Rio of billions of dollars in royalties. The governor of Rio, Sergio Cabral, says redistribution of oil resources would cost Rio around $3 billion a year and would seriously jeopardise the city’s preparation for the 2016 Olympic Games.

Most of Brazil’s oil lies off Rio de Janeiro, and, with the discovery of huge deep-sea oilfields in the same area in 2007, it is not hard to see why other states are eyeing Rio enviously. The Brazilian federal government has already moved to centralise oil exploration and exploitation, leaving foreign oil firms as investors only.

With elections in October, redistribution of oil revenue is a potential vote-winner for President Luíz Inácio Lula Da Silva’s Partido Trabalhista (Workers’ Party). Lula cannot stand for a third term, but he is trying to help his designated successor, Dilma Rousseff, who trails conservative presidential candidate José Serra, the governor of São Paulo, in opinion polls.

The environment minister, Carlos Minc, however, told Folha de São Paulo newspaper that Lula had given him his word he would veto the bill if it is approved by the Senate. Said Minc, who joined the Rio protesters: “The [oil] royalties are compensation for the environmental risk. If there is an environmental disaster, it won’t be Rondônia, Mato Grosso or other state that will suffer. The impact would be on Rio’s beaches, tourism and health.”

Fonte: Jornal Caledonian Mercury

 

 

 

 

Carlos Schneider Território sem lei

O Brasil precisa de preocupação cada vez maior, pois transformou se em território lei onde a ordem social foi subvertida. Não há nesta “pátria mãe gentil” quem esteja vivendo no “seio da pátria amada” em paz e com tranqüilidade, sem estar cercado dos mecanismos de vigilância e segurança a fim de que os cidadãos protejam suas vidas na melhor forma possível.

Andar pelas vias públicas e parques transformou-se privilégio do crime, enquanto os cidadãos compromissados com o bem comum, pagadores de impostos, são constantemente ameaçados da dilapidação patrimonial pelos vândalos. Vivem enclausurados em ambientes cada vez mais inseguros tendo apenas a proteção dos serviços de segurança particular de quem pode.

As estatísticas preocupam a tal ponto que a grande maioria dos cidadãos, vitimados por assaltos, seqüestros, roubos, furtos, engordam as cifras negras no país por conta do descrédito na força policial. Não que esta, a polícia, seja responsável pela desordem social. O fato é que o Estado faliu. Desaparelhou e continua desaparelhando os órgãos de segurança pública a tal ponto que tornam ineficazes as ações dos policiais contra o crime cada vez mais equipado e organizado.

Em outros casos como do jovem Renan Veeck, 20 anos, de Novo Hamburgo, vitimado na cascata do Herval de Dois Irmãos (RS) dia 27 de fevereiro de 2010 caracteriza o desaparelhamento do Estado para os serviços públicos essenciais e especializados. Renan agonizou por aproximadamente 4 horas, debaixo da correnteza das águas da cascata, depois de escorregar sobre pedras, onde caiu entre rochas ficando preso vindo a falecer de hipotermia. Em reiterado e desesperado pedido de socorro, poderia Renan ter sido salvo caso os serviços de resgate do Corpo de Bombeiros fosse atendido em tempo.

Mal equipados, desleixados, possíveis trotes, seja lá o que for, mortes estúpidas como a do jovem Renan, por leituras equivocadas ou mal interpretadas, não podem merecer pretexto para omissão de socorro por parte dos agentes do Estado, cuja função precípua é assistir ao cidadão quando necessário.

Em épocas de campanha eleitoral, candidatos a cargos eletivos fazem evaporar milhões de reais em propagandas atirados em vias públicas em nome da democracia; milhões de reais são gastos em ajuda humanitária a outros países, enquanto os cidadãos do País vivem o caos do abandono. Dirigentes públicos, investidos de seus mandatos, eleitos por siglas partidárias diversas, em seus postos, brigam entre si por ideologias estúpidas e inconseqüentes, enquanto que o cidadão, que os elegeu é esquecido e abandonado. Afinal qual o significado de “representante do povo?”.

É dever do Estado, segundo a constituição, garantir ao cidadão transporte, educação, segurança, entre outras garantias constitucionais. Contudo, o cidadão está cada vez mais refém dos vândalos do crime, desassistido pelo Estado que, falido, atribui ao desequilíbrio econômico, a culpa. A triste estatística de Novo Hamburgo, cidade do Vale do Sinos, em lamentável decadência econômica e social, registra em média 113 assaltos, arrombamentos diários. As grandes metrópoles são ingovernáveis no atual modelo de gestão pública. Assim, salvo melhor juízo, é preciso renovar as políticas públicas, limpando o parlamento e renovando nomes com novas propostas compromissadas com a ordem social. Honrados homens públicos como o Sr. Eugênio Spier (PTB) de Picada Café no parlamento gaúcho, entre outros, é uma exigência inegável pelo seu passado político, compromentido com a sociedade gaúcha. De igual quilate, e não menos importante indicação do cidadão Valney Luis Vargas (PMN) da cidade de Guaíba, para ocupar o parlamento federal como proposta de renovação de políticas públicas, para uma sociedade que reclama por justiça e paz social.

Fonte: Blog do Carlos Schneider, quinta-feira, 4 de março de 2010

 

 

 

 

Travestido de "direitos humanos"...
BRASIL PREPARA NOVO ATAQUE CONTRA AS LIBERDADES CIVIS
20 de março de 2010

Certamente os Srs. já tomaram conhecimento do Decreto 7.037/09, assinado nas vésperas do Natal pelo Presidente Lula: o PNDH - 3 (Plano Nacional dos Direitos Humanos - 3).

O tal PNDH – 3, ou mini-constituinte do PT, que entre muitas pérolas abole o direito de propriedade, a liberdade de ensino, a liberdade de imprensa, de informação, estabelece a proibição de crucifixos em locais públicos, e que também quer mandar para cadeia militares mas não os terroristas, não deixou de mencionar o desarmamento civil, o desarmamento das vítimas, o qual deve ser implementado bem como propõe criar maiores restrições (leia-se proibições) ao direito de possuir e portar armas, este último já abolido por determinação do governo.

Se vingar esse absurdo, não poderemos mais viajar, pois ao retornarmos poderemos encontrar um invasor em nossa casa, da qual não poderemos expulsá-lo, pois haverá necessidade de uma “audiência conciliatória” entre o invasor que virou dono e o ex-proprietário, para depois o juiz decidir. Imaginem o que acontecerá no campo com as ações dos ditos sem-terra. Não faltarão juizes de esquerda para reconhecer o direito do invasor.

O projeto do ministro Paulo Vannuchi, ou projeto de governo do PT desagradou muitos e, questionado sobre as barbaridades, disse que é uma proposta a ser discutida com a sociedade civil, conforme entrevista que segue.

http://www.youtube.com/watch?v=K8VgPKCymO0

Nesta última semana, o governo manifestou a pretensão de que alguns pontos polêmicos que tratam de legalização do aborto, símbolos religiosos, invasões e censura, serão retirados do programa, e não fala em retirar do programa o desarmamento dos homens honestos.

Portanto, CLIQUE AQUI e envie sua manifestação de repúdio ao PNDH e vamos pedir ao Ministro Vannuchi que retire do PNDH-3 também o desarmamento da população honesta e trabalhadora deste país.

Fonte: Pela Legítima Defesa

 

 

 

 

 

Anti-Brazilian violence flares in Suriname

January 11, 2010 by Andrew McLeod

Brazil’s new status as the big guy in the neighbourhood comes at a price. The country’s presence is felt everywhere on the continent these days, and is reflected in disputes over gas and oil contracts with neighbours who used to have only the US to contend with.

There is a burgeoning new world order in the region, even if the US has yet to wake up fully to the fact.

A sudden spate of anti-Brazilian violence in the former Dutch colony of Suriname, however, grabbed headlines across Brazil: when over Christmas a Brazilian “garimpeiro” (gold prospector) killed a local “maroon” in a brawl in a restaurant in the town of Albina, around 300 maroons armed with axes, knives and steel bars went on a 20-hour rampage, looting supermarkets and shops and attacking and injuring over 100 Brazilian men, women and children, 25 of them seriously.

The maroons, who are descended from slaves who escaped into the rainforest from Dutch plantations in the 18th century, are the third biggest ethnic group in Suriname. They refuse to acknowledge national laws and claim ownership of 80 percent of the country. According to Brazil’s Veja magazine, the maroons are only part of the anarchy that reigns in Suriname where drugs and arms trafficking operations “make Rio’s favelas look like Zurich”.

The maroons claim the “garimpeiros” are illegal immigrants who do not pay taxes. Their leader, Ronnie Brunswijk, who is reputed to have hundreds of children, dozens of wives, 70 homes and a fleet of luxury cars, condemned the rampage but claimed it was in revenge for the deaths of 68 maroons by Brazilians in recent years.

“These blacks from the forest are tough guys – Brazilians come here to be prostitutes, maybe they thought they deserved it,” Brunswijk told Veja. “The guy who died [sparking the rampage] was a kind of gangster. Even so, he shouldn’t have been killed, but I have been on maroons radio station to tell them we have no quarrel with the Brazilians.”

Fonte: Jornal Caledonian Mercury

 

 

 

 

Enviado especial da ONU para Sara Ocidental em Marrocos
20 de março de 2010


Rabat, Marrocos (PANA) -
O enviado especial do Secretário-Geral da ONU para o Sara Ocidental, Christopher Ross, está desde quarta-feira em Rabat no quadro dum períplo à região que o conduzirá também à Argélia e à Mauritânia, informou a imprensa marroquina.

Durante esta digressão, a terceira do género, que terminará a 25 de Março, Roos tentará relançar as negociações directas, sob a égide da ONU, entre Marrocos e a Frente Polisário com o objectivo de encontrar uma solução definitiva ao conflito do Sara Ocidental que opõe Rabat e os independentistas há mais de 30 anos.

Representantes de Marrocos e da Frente Polisário separaram-se em Fevereiro passado depois duma reunião informal de dois dias perto de Nova Iorque sem conseguir resolver as suas divergências.

Em Abril de 2007, Marrocos submeteu à ONU um projecto de autonomia para o Sara Ocidental, que prevê um Parlamento e um Governo autónomos.

O sector da educação ou a gestão dos assuntos do território caberiam a este poder autónomo, enquanto os negócios estrangeiros, a defesa, a moeda, a Gendarmaria e as Alfândegas deveriam pertencer a Rabat.

Esta proposta é rejeitada pela Frente Polisário, movimento independentista apoiado pela Argélia, que reafirma "o direito do povo saraouí à autodeterminação" através dum referendo.

O Sara Ocidental, antiga colónia espanhola, está sob controlo de Marrocos desde 1975.

Fonte: Panapress

 

 

 

 

GAÚCHOS E MAÇONS DE HOJE E DE ONTEM
20 de março de 2010

Não se faz mais gaúcho nem maçom com os brios de antigamente. Com efeito, lá por 1835, por muito menos que hoje, a gauchada atendeu a convocação de lideranças maçônicas para unidos desencadearem a Revolução Farroupilha nos moldes preconizados no Balaústre 67, de 18 de setembro daquele ano. Passados quase dois séculos a situação é bem diferente. Talvez em decorrência da decadência nos valores morais e dignidade humanas, parece que o gaúcho e o maçom se acovardaram ante o poderio irradiado pela capital federal, onde teria se instalado uma "tiranoligarquia" (mistura de tirania com oligarquia), às vezes chamada de "estado-de-direito", outras de "democracia", nunca conhecida na história da humanidade. 

Em decorrência disso a imagem do gaúcho passou a ser falsamente representada aos olhos do visitante e de "todas-as-querências" por um grupo de "bobos-da-corte" que discursam, cantam e vestem o Rio Grande, ao mesmo tempo em que servilmente prestam continência às forças imperiais, seguindo o comando da mídia sempre contrária à libertação gaúcha. Não é compatível à dignidade humana a humilhante condição de cordeirinho que nunca reage ante o cruel domínio do maior centro de corrupção do mundo. 

Contudo o passado sempre é boa escola, no que fazer, não fazer ou repetir. Ouví-lo é sinal de sabedoria. E  a sabedoria sempre esteve presente no gaúcho e na comunidade maçônica, que montou, inclusive, como nenhuma outra instituição, uma pirâmide contemplando os mais elevados valores humanos. E essa pirâmide não elenca a omissão às grandes causas libertárias dos povos e nações que reclamam de pleno direito sua autodeterminação. Tudo isso surge depois do paulatino afastamento da mentira histórica sobre a "unidade nacional" do Brasil, que na verdade é um Estado PLURINACIONAL (nacionalidades múltiplas), sendo o extremo sul, por si só, um Povo e uma Nação.

 

 

 

Twitter muda site após ser denunciado por usar o número 666, da besta
06 de março de 2010

O site Twitter, que vem sendo promovendo há vários meses uma campanha midiática gigantesca a nível mundial para atrair usuários, com notícias plantadas (pagas) diariamente em diversos jornais brasileiros, mudou seu site após ter sido denunciado por utilizar o número "666" dissimulado.


Clique para ampliar

 

 

 

 

Conferência internacional de apoio ao povo sarauí
06 de março de 2010

Conferência internacional de apoio ao povo sarauí de modo a pressionar a União Europeia para a resolução do problema do Saara Ocidental

A Conferência internacional de apoio ao povo sarauí decorre a 6 e 7 de Março, em Granada, Espanha. Coincide com a primeira cimeira entre a União Europeia e Marrocos que se realiza também durante o fim-de-semana naquela cidade espanhola.

Ana Gomes (PS) e Miguel Portas (BE) participam nesta iniciativa de modo a demonstrar a sua solidariedade para com aquele povo. "Não podemos continuar com a política de avestruz", disse Ana Gomes à agência Lusa. A eurodeputada defende que os europeus devem "encorajar" as duas partes, Marrocos e povo sarauí, a resolver o problema.

Os participantes deste encontro de apoio ao povo sarauí defendem um referendo de autodeterminação do Saara Ocidental e denunciam a espoliação dos recursos naturais, contrária ao direito internacional civil e humanitário, entre outros. A conferência ocorre num momento em que a Presidência Europeia pretende conceder o estatuto de "associado privilegiado" a Marrocos.  

Fonte

 

 

 

Google tem acordo com governo dos EUA
06 de março de 2010

Da Folha Online

As manobras comerciais do Google geram reações iradas da concorrência e de governos, mas o que mais atinge e preocupa diretamente os internautas e os defensores das liberdades civis são as ações da empresa que ameaçam a privacidade. O desastrado lançamento do Google Buzz foi apenas o caso mais recente.

A grande polêmica atual veio com a divulgação, no mês passado, pelo "Washington Post", de que o Google está negociando um acordo de troca de informações com a NSA (National Security Agency) - a agência federal norte-americana de vigilância eletrônica. Leia mais...

 

 

 

 

 

BELO POWERPOINT COM IMAGENS DA REPÚBLICA RIO-GRANDENSE

Download em partes: 1   2

 

 

 

Armas só para os bandidos
02 de março de 2010

Heather Sutton, Coordenadora de Mobilização da Área de controle de armas do Instituto Sou da Paz, informa que, em 2012, deve ser realizada uma Conferência pela ONU para aprovar o Tratado Final sobre o Controle de Armas.

Antes, devem acontecer duas conferências preparatórias este ano, e mais uma no ano que vem, dentro do espírito da campanha mundial "Armas sob Controle".

Heather Sutton foi a representante brasileira em um recente encontro em Viena, Áustria, entre os dias 8 e 12 de fevereiro, que reuniu mais de 90 Organizações Não-Governamentais de diversos países para discutir o Controle do Comércio de Armas.

Breve, o controle de armas será mais um item na “campanha eleitoral” de Lula para ser Secretário Geral da ONU.

Fonte: Alerta Total

 

 

 

Criminoso no Brasil virou oficialmente profissão
Brasil tem "seguro-desemprego" para criminosos
26 de fevereiro de 2010

O surrealismo brasileiro não tem limites. Você  certamente conhece muitas pessoas desempregadas que não possuem seguro-desemprego nem qualquer tipo de renda mensal, que dependem de favores para sobreviverem, mas que nem por isso se tornaram criminosos.

Pois se fossem criminosos, não apenas poderiam morar na prisão, com refeições pagas por você, leitor, como as famílias dos respectivos bandidos também receberiam uma espéce de seguro-desemprego para bandidos, denominado "auxílio-reclusão", que também é pago por você.


Clique para ampliar

 

 

 

 

Grande Manifestação de Solidariedade com o Povo Saharaui
26 de fevereiro de 2010 

A cabeça da manifestação empunhará uma enorme palavra-de-ordem:
“Sin libertad ni Derechos Humanos¡¡ NO al Estatuto con Marruecos!!”

No próximo mês de Março, dia 7, realiza-se na cidade de Granada a primeira Cimeira UE-Marrocos, uma iniciativa da actual Presidência Espanhola da União Europeia, após a concessão do Estatuto Avançado àquele país magrebino que converte Marrocos num parceiro preferencial da União.

Enquanto isso, Marrocos continua a ocupar ilegalmente um país vizinho, espoliando-o; negando-se a respeitar as resoluções da ONU respeitante à realização de um referendo de autodeterminação para o Povo Saharaui e violando diariamente os Direitos Humanos, especialmente os da população saharaui que vive reprimida e torturada na zona ocupada daquela que foi a antiga colónia espanhola do Norte de África.

Para denunciar estas violações irá realizar-se, em paralelo e em simultâneo, em Granada, nos dias 6 e 7 de Março de 2010, a CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE APOIO AO POVO SAHARAUI.

Face a um Marrocos de um autoritarismo sem limites e da real ausência de democracia, estamos conscientes do natural interesse do Estado Espanhol e da União Europeia no seu conjunto no que representa um Marrocos democrático. A União Europeia deve persuadir o regime alauita da obrigação moral e política de garantir o Direito de Autodeterminação no Sahara Ocidental através da realização de um referendo de autodeterminação. Sem uma saída democrática para o conflito do Sahara Ocidental é verdadeiramente irresponsável pensar numa verdadeira transição para a democracia em Marrocos.

A Conferência denuncia o governo marroquino (agora parceiro europeu) pela violação sistemática dos Direitos Humanos e espoliação dos recursos naturais do Sahara Ocidental, e exige a organização do Referendo de Autodeterminação e a inclusão do tema do Sahara Ocidental na Agenda da Presidência Espanhola da União Europeia.

Fonte: Associação de Amizade Portugal – Sahara Ocidental
portugal.sahara@gmail.com

 

 

 

 

Maioria dos catalães querem independência, diz pesquisa
26 de fevereiro de 2010

MADRI (Reuters) - A maioria dos catalães votariam a favor da independência da Espanha se um referendo fosse realizado sobre o assunto, de acordo com uma pesquisa publicada nesta sexta-feira mostrando mais apoio ao separatismo do que outras sondagens.

A pesquisa, cujos patrocinadores disseram ser mais abrangente que as anteriores, vem no momento em que ativistas pró-independência aumentaram a campanha para um referendo de independência na rica região do nordeste da Espanha.

Com as eleições regionais marcadas para a segunda metade deste ano, um aumento do nacionalismo catalão seria uma dor-de-cabeça para o primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, que luta para convencer os mercados de dívida de que o país pode colocar suas finanças em ordem.

De acordo com a pesquisa, conduzida para a Universidade Aberta da Catalunha pela empresa privada DYM, ouvindo com 1.883 espanhóis catalães e 2.614 espanhóis não-catalães no final do ano passado, 50,4 por cento das pessoas da região votariam a favor da independência se houvesse oportunidade.

Dezoito por cento disseram que votariam contra a independência da Catalunha, que tem sua própria cultura e língua, e 25 por cento iriam se abster.

Sob a lei espanhola, a Catalunha seria proibida de organizar um referendo, mesmo se o governo autônomo da região, baseado em Barcelona, quisesse organizar um. Qualquer plano de um referendo enfrentaria forte oposição de Madri.

Ativistas pró-independência têm realizado simulações de referendo em cidades catalãs, com quantidade surpreendente de votos a favor da região deixar de fazer parte da Espanha, mas eles representam somente cerca de 30 por cento do eleitorado. Os ativistas pretendem pressionar os partidos políticos catalães para apoiarem um referendo.

Muitos catalães ressentem o tratamento recebido durante a ditadura de Francisco Franco, entre 1939 e 1975, que proibiu o uso de sua língua em público.

(Reportagem de Jason Webb)

Fonte: O Globo

 

 

 

Google confirma que auxilia a NSA
18 de fevereiro de 2010

Em reportagem do Washington Post, Google admite que auxilia a NSA, agência estadunidense encarregada de espionagem eletrônica e monitoramento das atividades dos usuários na internet, telefonemas e outras formas de comunicação eletrônica... Leia mais...

 

 

Novo-velho filme: 
Lula, o filho da puta

 

 

 

 

Carlos Schneider A Falência do Sistema de Saúde Pública

Por longos períodos da história do Brasil, seus cidadãos puderam observar em épocas específicas, o cuidado e preocupação dos governantes das três esferas com a proteção da saúde da população especialmente nos períodos de carnaval, fóruns sociais entre outros.

Nota-se nestes eventos a farta distribuição de tantas porcarias que para nada mais servem senão a incentivar a prostituição. Não se trata da distribuição de alimentos, mas o consumo de camisinhas, algemando cidadão pagador de impostos a financiar tais irresponsabilidades. Não precisamos nos distanciar muito a fim de constatar tais eventos. Novo Hamburgo, São Leopoldo, Canoas, cidades em nossa volta que servem de modelo... sim... modelo de como se deve financiar e incentivar a prostituição e a promiscuidade com o dinheiro público. Enquanto isto, professores, policiais, funcionários públicos de modo geral, muitos deles pais de família com responsabilidades, há anos pedindo por melhores salários momento em que os governos procuram sufocar tais pretensões, uma vez que se trata de reivindicação justa.

O assunto se agrava quando tratamos da saúde das pessoas. A falência do sistema de saúde pública compromete cada vez mais os modelos de gestão dos entes políticos. Não é a toa que o Brasil ocupa o 123º lugar como o pior modelo de saúde pública se comparado com 125 países do mundo (vide publicação 25.09.2009). E quando se perde a esperança pelo restabelecimento estrutural e funcional dos hospitais públicos chegamos ao fim do tunel. Morrer de apendicite, em pleno século XXI é algo inaceitável. Pior... Morrer de apendicite num hospital público é tratar o ser humano como escória da humanidade. Pois foi e continua acontecendo no Hospital Municipal de Novo Hamburgo. Enquanto o prefeito municipal e o secretário da saúde estão preocupados em socorrer o Haiti na remessa de remédios, MÉDICOS, dinheiro para aquele país... os mesmos se prestam também a financiar a prostituição com a farta distribuição de camisinhas adquiridas com o dinheiro do contribuinte que serão distribuídas durante os festejos do carnaval. Enquanto isso, os contribuintes, continuam morrendo nas macas jogadas nos corredores dos hospitais como bichos. Pior... Pela absoluta negligência funcional dos profissionais da saúde pública deste hospital.

Entre tantos casos absurdos que acontecem no Hospital Municipal de Novo Hamburgo, necessário registrar mais um óbito. Desta feita a morte do hamburguense Adilson de Lima e Silva. Adilson, esposo de Elisa Schneider, foi baixado no Hospital Municipal de Novo Hamburgo em 27.01.10 com fortes dores abdominais. Dois dias antes, porém, passou por procedimento clínico em posto de saúde de Novo Hamburgo, chamado de “postão”. Com a baixa hospitalar, ficou dias agoniando jogado sobre uma maca no corredor do Hospital, vindo a falecer em 08 de fevereiro de 2010 em decorrência da apendicite aguda. O fato não mereceu sequer uma linha no barulhento e parcial jornal local, pois tais absurdos são rotina neste hospital.

Mesmo que a esposa do falecido vá a justiça buscar a reparação do irreparável, a fim de amenizar o sofrimento dos dois filhos e o seu mesmo, nada trará Adilson de volta. O Hospital Municipal de Novo Hamburgo precisa de urgente investigação e se o caso exigir, a intervenção dos órgãos públicos como do Ministério Público, Secretaria da Saúde e ainda Ministério da Saúde. Não foi o primeiro caso de negligência. Outras tantas pessoas ainda serão vitimadas caso não sejam tomadas as providências necessárias. Do contrário, o prefeito vai continuar muito em auxiliar o Haiti; a farta distribuição de camisinhas no carnaval; enviar médicos para auxiliar os países estrangeiros enquanto que os filhos da terra padecem do mínimo quando mais precisam da intervenção do estado, no caso de doenças.

Fonte: Blog do Carlos Schneider, quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

 

 

 

 

Armas diminuem taxas de homicídio
11 de fevereiro de 2010

Contra fatos não valem os argumentos. O editorial do Washington Times, de 21 de janeiro de 2010, demonstra como, em Washington (DC), bastou que fosse autorizado o uso de armas que, entre 2008 e 2009, o índice de “assassinatos no Distrito caíu espantosamente 25%, passando de 186 para 140” contrariamente ao que alegavam os desarmamentistas. 

Dentro em breve, a Suprema Corte de Chicago, deverá decidir também sobre se continua ou não a proibição do uso de armas que, segundo o mesmo editorial, quando foi proibido o uso de armas naquela cidade, em 1982, o índice de assassinatos cresceu na mesma proporção de outras cidades do mesmo porte que também proibiram o uso de armas. 

O editorial conclui que o fenômeno do crescimento do índice de crimes depois de aprovado a proibição de armas não se limita aos Estados Unidos. Sempre que um país aprova o desarmamento o índice de crimes aumenta.

Fontes:
Pela Legítima Defesa
Washington Times
 

 

 

Marinha russa denuncia que os EUA criaram o terremoto do Haiti
28 de janeiro de 2010

A Frota Russa do Norte indica que o sismo que devastou o Haiti foi, claramente, resultado de um teste da Marinha norte-americana através de uma de suas armas de terremotos e que elaborou um diagrama de sucessão linear em relação aos terremotos denunciados que casualmente se produziram à mesma profundidade na Venezuela e em Honduras.

A Frota do Norte tem monitorado os movimentos e atividades navais dos EUA no Caribe desde 2008 quando os norteamericanos anunciaram sua intenção de restabelecer a IV Frota, que foi desmobilizada em 1950, e ao que a Rússia respondeu, um ano mais tarde, com a Frota comandada pelo cruzador nuclear “Pedro, o Grande” começando seus primeiros exercícios nesta região desde o fim da Guerra Fria.

Desde o final da década de 70 do passado século, os EUA “avançaram muito” o estado das suas armas de terremotos e, segundo estes relatórios, agora empregam dispositivos que usam uma tecnologia de Pulso, Plasma e Sônico Eletromagnético Tesla junto com “bombas de ondas de choque”.

O relatório compara também as experiências de duas destas armas de terremotos da Marinha dos EUA na semana passada, quando o teste no Pacifico causou um sismo de magnitude 6,5 atingindo a área ao redor da cidade de Eureka, na Califórnia, sem causar mortes. Mas o teste no Caribe já causou a morte de, pelo menos, 140 mil inocentes.

Segundo o relatório, é “mais do que provável” que a Marinha dos EUA teve “conhecimento total” do catastrófico dano que este teste de terremoto poderia ter potencialmente sobre o Haiti e que tinha pré-posicionado o seu Comandante Delegado do Comando Sul, General P.K. Keen, na ilha para supervisionar os trabalhos de ajuda se fossem necessários.

Quanto ao resultado final dos testes destas armas, o relatório adverte que existe o plano dos EUA da destruição do Irã através de uma série de terremotos concebidos para derrubar o seu atual regime islâmico. Segundo o relatório, o sistema experimentado pelos EUA (Projeto HAARP) permitiria também criar anomalias no clima para provocar inundações, secas e furacões.

De acordo com outro relatório coincidente, existem dados que permitem estabelecer que o terremoto de Sichuan, na China, em 12 de maio de 2008, de magnitude 7,8 na escala Richter, foi criado também pela radiofrequência do HAARP. Ao existir uma correlação entre a atividade sísmica e a ionosfera, através do controle da Radiofrequência induzida por Hipocampos, nos marcos do HAARP, conclui-se que:

1.- Os terremotos em que a profundidade é linearmente idêntica na mesma falha, se produzem por projeção linear de frequências induzidas.

2.- A configuração de satélites permite gerar projeções concentradas de freqüências em pontos determinados (Hipocampos).

3.- Elaborou-se um diagrama de sucessão linear dos terremotos denunciados em que casualmente todos se produziram à mesma profundidade.

- Venezuela, em 8 de janeiro de 2010. Profundidade: 10 km.
- Honduras, em 11 de janeiro de 2010. Profundidade: 10 km.
- Haiti, em 12 de janeiro de 2010. Profundidade: 10 km.

O restante das réplicas ocorreram em profundidades próximas dos 10 km.

Logo após o terremoto, o Pentágono informou que o navio-hospital USNS Confort, ancorado em Baltimore, convocou sua tripulação para zarpar para o Haiti, ainda que pudessem levar vários dias até a chegada no Haiti. O almirante da Marinha, Mike Mullen, chefe do Estado Maior Conjunto, disse que o Exército dos EUA trabalhava preparando a resposta de emergência para o desastre.

Fraser, do Comando Sul (SOUTHCOM), informou que navios da Guarda Costeira e da Marinha dos EUA na região foram enviados para oferecer ajuda mesmo que tenham recursos e helicópteros limitados.

O portaviões USS Carl Vinson foi enviado da base naval de Norfolk, Virginia, com sua capacidade de aviões e helicópteros completa e chegou ao Haiti nas primeiras horas da tarde de 14 de janeiro. Outros grupos adicionais de helicópteros unir-se-ão ao Carl Vinson, declarou Fraser.

A Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (USAID), já operava no Haiti antes do sismo. O presidente Obama foi informado do terremoto às 17h52 de 12 de janeiro e solicitou ao seu pessoal que se a assegurassem de que os funcionários da Embaixada estivessem a salvo e que começassem os preparativos para proporcionar a ajuda humanitária que fosse necessária.

De acordo com o relatório russo, o Departamento de Estado, USAID e o Comando Sul dos EUA começaram seu trabalho de “invasão humanitária” ao enviar pelo menos 10.000 soldados e mercenários, para controlar, no lugar da ONU, o território haitiano após o devastador “terremoto experimental”.

Fonte: Agência de Notícias Nova Colômbia

 

 

 

País Basco: Arnaldo Otegi em greve de fome
28 de janeiro de 2010

O antigo porta-voz da ilegalizada Batasuna, Arnaldo Otegi, juntou-se ao protesto colectivo dos presos bascos.

O líder independentista, que está detido e começou a ser julgado hoje em Madrid por apologia ao terrorismo, está em greve de fome desde segunda-feira, anunciou a sua advogada Jone Goirizelaia.

A advogada aproveitou uma pausa no julgamento na Audiência Nacional (a mais alta instância penal espanhola) para pedir uma garrafa de água para o seu cliente.

Otegi, ex-porta-voz da Batasuna, está a ser julgado por participar, em 2005, numa homenagem a um membro da ETA que estava preso, José Maria Sagarduy.

A organização dos presos bascos tinha anunciado na segunda-feira o início da greve de fome colectiva para protestar contra a política de afastar os detidos do País Basco e para reclamar a autodeterminação.

Fonte

 

 

 

A Frota Russa do Norte acusa dos Estados Unidos de terem provocado o terremoto do Haiti, segundo Hugo Chávez
27 de janeiro de 2010

Chávez diz que os EUA provocaram o terremoto no Haiti ao testarem armas

RIO - Em um comunicado divulgado na rede estatal de televisão venezuelana "Vive", o presidente venezuelano, Hugo Chávez, afirmou que "o sismo do Haiti foi um claro resultado de um teste da Marinha americana" com "uma de suas armas de (provocar) terremoto". Chávez citou um relatório preparado pela Frota Russa do Norte e disse que o "terremoto experimental dos EUA devastou o país caribenho", informa o jornal espanhol "ABC".

A Frota do Norte, segue o texto, "monitorou os movimentos e as atividades navais americanas no Caribe desde 2008, quando os EUA anunciaram sua intenção de restabelecer a Quarta Frota, dissolvida em 1950".

O relatório citado por Chávez compara, ainda, "o teste de duas destas armas de terremoto" realizados na semana passada pela Marinha americana. A experiência feito no Pacífico provocou um terremoto de magnitude 6,5 em Eureka, na Califórnia, sem vítimas, "enquanto o teste realizado no Caribe provocou a morte de pelo menos 140 mil inocentes", diz o documento.

Segundo indica o texto russo, "é mais que provável" que Washington "tivesse conhecimento total do catastrófico dano que este teste de terremoto poderia ter sobre o Haiti e por isso posicionou seu comandante do Comando do Sul, o general P.K. Keen, na ilha para supervisionar os esforços de ajuda, caso fosse necessários".

Em relação ao objetivo de Washington com os testes, Moscou e Caracas afirmam que "no resultado final dos testes destas armas está o plano dos EUA da destruição do Irã através de uma série de terremotos pensados para derrubar seu atual regime islâmico".

Por fim, o governo de Chávez denuncia que "o Departamento de Estado, Agência Americana de Cooperação para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e o Comando Sul dos EUA começaram a invasão humanitária ao enviar pelo menos dez mil soldados e empreiteiros para controlar, no lugar da Organização das Nações Unidas, o território haitiano após o devastador terremoto experimental".

Fonte: O Globo

 

 

 

 

GLOBALIZAÇÃO, SUBJETIVIDADE E TOTALITARISMO
Elementos para um estudo de caso: O Governo Fernando Henrique Cardoso
Livro de
Euclides André Mance

O objetivo deste livro é realizar uma crítica conceitual do globalitarismo, tomando como caso particular para análise o governo de Fernando Henrique Cardoso. Ao final são apontados, também, alguns elementos gerais alternativos a este modelo. Nas observações preliminares é desenvolvida uma reflexão bastante didática, visando fornecer ao leitor uma compreensão básica dos mecanismos que conformam o Plano Real e que têm possibilitado assegurar a estabilidade da moeda no país - sob os cânones do neoliberalismo - desde 1994. Esclarecemos as principais propostas retomadas no Consenso de Washington, analisamos a implantação do neoliberalismo no Brasil após a transição da ditadura militar para a democracia liberal em meados dos anos 80 e explicamos o Plano Real em suas três fases constitutivas, que envolveram os dois últimos governos federais, o de Itamar Franco e o de Fernando Henrique Cardoso. Apresentamos também os beneficiados e perdedores com estas políticas de estabilização monetária, o significado das reformas constitucionais para a manutenção do Real, o objetivo da defasagem do câmbio e das elevadas taxas de juros, sua relação com o crescimento da dívida interna, do desemprego e, por fim, a dependência cada vez maior de capitais internacionais para a manutenção da estabilidade econômica brasileira.

Ler o Livro GLOBALIZAÇÃO, SUBJETIVIDADE E TOTALITARISMO

 

 

 

 

FUNDAMENTOS DO SEPARATISMO
Livro de João Nascimento Franco

Neste livro o leitor encontrará um minucioso resumo do que vem sendo escrito há mais de um século por historiadores e cientistas sociais sobre a unidade nacional e as manifestações separatistas resultantes das disparidades regionais geradas, entre outros motivos,  pelo avanço econômico e tecnológico de alguns Estados e pelo subdesenvolvimento de outros.

Visando remediar esses desencontros e salvar a unidade nacional, diversas soluções têm sido aventadas, desde a confederação até a separação, ao longo de acesas polêmicas em que o colonialismo muitas vezes impede um exame realístico do tema e seu enfoque, do ponto de vista histórico e jurídico. Em face dessa controvérsia, o autor assume uma posição clara e definida, ao mesmo tempo em que procura justificá-la com firmeza e convicção.

Download em partes: 1  2  3  4

Download em arquivo único

 

 

 

 

O MODELO POLÍTICO DOS FARRAPOS
Livro de Moacyr Flores

Download em partes: 1  2  3  4  5  6  7  8

Download em arquivo único (mediafire)

 

 

 

 

 

O RIO GRANDE INDEPENDENTE
Livro de Alcides Maya

Livro publicado em 1898, onde o autor defende a restauração da República Rio-Grandense.
Abrir em formato PDF
Download em formato ZIP

 

 

 

 

FOTOS DO INVERNO GAÚCHO
01 de janeiro de 2010

Belas imagens do inverno no território Rio-Grandense.
Download em formato PowerPoint

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

   ARQUIVO
Leia aqui as notícias antigas e lembre-se que
LIBERDADE NÃO TEM DATA DE VENCIMENTO

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

2000

1999

Atualizações antigas do PampaLivre.info